Tag: terrence malick - Melhor Ângulo

Quem conhece e já viu alguns dos filmes do diretor e roteirista Terrence Malick sabe o que sempre esperar de suas produções: fotografia exuberante e intimista (já é clássico esperar ao menos um trecho onde a câmera percorre gramíneas altas) e uma mensagem mirabolante que metade do público perde. Marca do diretor é trabalhar com ideologias pessoais, lições de vida, quase como livros de auto-ajuda, com grandes levas de belas imagens aleatórias do mundo incrível em que vivemos. Isso acaba exigindo do público doses de duas horas e pouco de atenção e dedicação, já que suas histórias se desenvolvem devagar e, na maioria dos casos, sem tramas claramente definidas (tudo em prol do foco, que é a mensagem final).

Terrence Malick não é cinematografista formado, por isso necessita de colaborações de profissionais como Emmanuel Lubezki e John Toll, mas fica bastante explicito que o diretor possui boa compreensão da linguagem da fotografia nos cinemas e sabe usar as câmeras,  dramatizando e pontuando bem a movimentação delas (em alguns momentos colocando o espectador em seu próprio lugar, como se estivesse atrás de uma janela, e em outros como se fosse parte da cena, movendo a câmera como se o espectador fizesse parte de uma dança com a produção).

Pouco se tem a dizer sobre os grandes planos fotográficos dos filmes de Malick, mas muito a observar em suas composições (especialmente quando são feitos por computação gráfica, um recurso bastante usado em A Árvore da Vida), por isso, listei abaixo algumas das cenas mais bonitas e interessantes da filmografia do diretor. Os trailers que acompanham as imagens são suficientes para que se note o tom dos filmes e para que tenham um gostinho das lindas cenas. Recomendo que os assistam em alta definição. ;)

A Árvore da Vida (The Tree Of Life, 2011)

Além da Linha Vermelha (The Thin Red Line, 1998)

To The Wonder (To The Wonder, 2013)

Cinzas no Paraíso (Days of Heaven, 1978)

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+