07 • março • 2013
Spinning Pieces

Spinning Pieces

Há uns seis meses eu tomei a decisão de não me justificar por pequenos períodos de ausência no blog (5 dias, por exemplo). É uma questão de realismo: no meu caso, a necessidade de um foco maior nos trabalhos com web design ou uma simples desmotivação podem ser a causa, e ambos acontecem numa certa frequência por aqui. Além disso, a pressão dos posts diários também não funciona comigo (aliás, nenhum tipo de pressão). Gosto de trabalho bem feito, textos e imagens sincronizados com perfeição.

Mas indo direto ao assunto, o blog não está lá muito atualizado desde o início de fevereiro, perceberam? Pois é. Em 2013, um dos meus objetivos está sendo cuidar mais da minha saúde e do meu bem estar. Acordar, vir direto para o notebook e ir dormir às 3 da manhã definitivamente não estava colaborando muito nesses aspectos. Acho que eu nunca tinha ficado tanto tempo enfurnado nesse quarto, sem ver a luz do sol direito, sem esse ventilador na minha cara, sem amigos, a não ser os virtuais. Os reflexos já começaram: coluna, visão, solidão.

Decidi que é hora de me preparar para a avalanche de responsabilidades que virão novamente com a faculdade e simplificar minha vida. Essa é a palavra. Reduzir o estresse, o acúmulo, deixar as coisas mais naturais, entendem meu ponto? O Zé que arrisca alguma coisa no web design deixou de se responsabilizar pela etapa de programação. O Zé blogueiro vai escrever sempre que tiver vontade e sobre o que realmente lhe inspira; isso inclui assuntos que talvez nem tenham tanto a ver com o âmbito das artes, talvez uma receita de um bolo de chocolate muito do bom?

Quando eu agradeci as 10 mil curtidas no Facebook (obrigado, de novo!), eu escrevi sobre os problemas que aparecem o tempo todo para fazer a gente desistir de tudo. Pelos motivos desse post, é claro que passou pela minha cabeça simplificar tanto que deixaria o blog de lado, mas não vou ser tão radical. Vamos ir testando as possibilidades, né? A vida tem dessas. :)

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



04 • novembro • 2011

Acho que muita gente não sabe disso (talvez porque a maioria das minhas fotos é de rosto), mas de fevereiro à julho de 2010 emagreci 11 quilos! Nunca fui muito gordinho, aliás quando eu tinha mais ou menos 10 anos, era uma palito em pessoa!

Mas quando entrei no Ensino Médio (no meu caso junto ao técnico, ou seja: horário integral), comecei a almoçar por lá, e no 1º ano comia na cantina do colégio: comida mal feita, muito gordurosa, e o pior: com a conta aberta pra comprar o que eu quisesse, só dava o Zé por lá comprando salgados e chocolates durante os intervalos. Resultado: fiz a Senhora Puff e inflei! UIASHDUF.

Por conta disso e outros motivos como minhas notas não muito boas na época, às vezes estava lá o Zé pelos cantos com cara de depressão falando “Eu sou gordo, eu sou gordo” (pior que era bem assim viu?). Em 2009 já estava comendo num bom restaurante mas em vez de pensar nas opções saudáveis que ele oferecia, só via as guloseimas como batatas fritas, lasanha, massas e sobremesas. Ano passado eu dei um basta nisso. Em fevereiro eu disse pra mim mesmo que dessa vez eu ia conseguir fechar a boca e mudar minha alimentação.

Não consultei uma nutricionista (o que não recomendo fazer), fui na base do que eu lia na internet mesmo, mas nada exagerado, porque sabia da minha facilidade (Deus é Pai) de emagrecer. (1) Meu prato básico era: 80% folhas e legumes e 20% arroz, feijão e um pequeno pedaço de carne magra assada/grelhada ou peixe. (2) Sobremesas? Raramente. Lembro como se fosse ontem da galera que almoçava junto olhando pra mim e dizendo “Não sei como você aguenta”. (3) À noite, em 7 dias da semana, digamos que eu jantava em 3 deles. (4) Nos finais de semana (quando a comida é sempre “melhor”), comia de tudo, mas numa quantidade 50% menor do que antes.

No quesito exercícios, não fazia nada anormal: ia e voltava da minha casa até o ponto do ônibus (uns 15 minutos a pé) e na hora do almoço, do CEFET ao restaurante (10 minutos). Uma caminhada básica e leve, que passava rápido e não tomava nem tempo nem esforço. Mas o que eu acho que me ajudou mais nisso tudo foi a ocupação com a escola. O primeiro e o segundo bimestres ano passado foram muito pesados, não saía do computador fazendo o Projeto de Final de Curso e nem da casa da minha amiga Gabi estudando pra provas. Simplesmente esquecia de comer!

Esse ano, acabei mudando a alimentação novamente. Morando com dois amigos, sem pais por perto pra regular o que é comprado, imagine a quantidade de biscoitos, doces, salgadinhos essa casa já não teve durante os últimos meses! A maioria dessas compras não teve iniciativa minha, mas no fim das contas, não resisto e acabo devorando tudo.

Engordei novamente alguns quilinhos e já estou ciente disso, estou tentando reaver meus bons hábitos voltando com a minha dieta e comecei hoje, por isso o post! Se chama “Dieta da Sexta” (porque não consegui começar na segunda, então vai na sexta mesmo, SADHFUASDH. Pretendo trazer resultados pra vocês daqui a uns 2 meses, que tal? Fim do ano é férias e vou começar a caminhar sério na minha cidade, talvez até a malhar! Vamos ver se esses quilos a mais vão embora de novo, torçam pelo Zé, minha gente!

UPDATE

Compras básicas pra começar a maratona! (Foto rápida, ignore a qualidade)


Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe: