Tag: photoshop - Melhor Ângulo

Nós já vimos aqui no blog que exposição é quando o mecanismo da câmera fica literalmente exposto à luz exterior e assim, a foto é formada. Acontece que em algumas câmeras analógicas, é possível expor duas vezes (ou mais vezes, tornando-se múltipla exposição) em cima de uma única pose do filme, criando essa mistura de luzes e formas que a gente adora!

Como na fotografia digital não tem essa, nos resta levar a dupla exposição para a fase da pós-produção, usando nosso amigo Photoshop ou um derivado. E não é nem um pouco difícil, tá?

Segunda-feira (15) foi ao ar no Depois dos Quinze um post meu falando sobre modos de mesclagem na hora de criar efeitos (cores, contraste, etc) nas fotos. Resumindo, os modos de mesclagem servem simplesmente para misturar, fundir uma camada na outra.

Escolha duas fotos para fazer a dupla exposição e abra ambas no Photoshop. Se você não está vendo a aba de camadas, aperte F7 ou vá no menu Janela > Camadas. Selecione uma das fotos (Ctrl+A), copie (Ctrl+C) e cole (Ctrl+V) por cima da outra. Com a foto de cima selecionada, agora é só ir mudando o modo de mesclagem até encontrar um que fique bom. :)

Mas calma, a ordem das fotos influencia. Para colocar a foto de baixo por cima, você precisa desbloqueá-la (viu o cadeadinho no print?) porque ela é a camada de fundo, e por padrão, as camadas de fundo ficam bloqueadas para não causarem problemas na hora da edição. Basta clicar duas vezes na camada, Ok na janela que aparecer, e pronto. Agora é deixar na ordem que você quiser arrastando as camadas. Lembrando que a foto de baixo precisa estar sempre no modo de mesclagem Normal e com opacidade 100% pra dar certinho.

Dica útil: nossa intenção é simular uma dupla exposição feita como nas câmeras analógicas, e se você reparar bem, a maioria são compostas de uma foto de silhueta e uma outra aleatória que na mistura, acaba preenchendo a silhueta! Os modos de mesclagem que fazem isso são o Clarear (Lighten em inglês) e Divisão (Screen).

Olha os exemplos que eu fiz aqui rapidinho:

Eu vinha prometendo ensinar isso há tanto tempo, mas enfim, tá aí o post. Espero que tenham gostado, e pra terminar… não podiam faltar umas fotos bonitonas pra gente se inspirar, né?

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Você já deve ter percebido que a maioria das pessoas têm uma certa dificuldade para diferenciar essas duas categorias de efeitos tão famosos e conhecidos: o retrô e o vintage. Acontece que ambos ficaram populares há alguns bons anos e com essa massificação de gente usando Instagram então… virou casa-da-mãe-joana, tudo acabou virando uma coisa só. Hoje o post é pra acabar com essa bagunça, vamos aprender as diferenças e de bandeja baixar algumas actions e curvas para Photoshop que vão quebrar um bom galho.

Os adjetivos “retrô” e “vintage” não são exclusivos na área da fotografia, tenho certeza que todos vocês já devem ter ouvido os dois em tudo quanto é lugar, relacionados à moda, produtos, decoração, arquitetura, e até estilo de vida. São como gêmeos univitelinos: nasceram do mesmo óvulo, todo mundo acha que são idênticos, mas eles têm suas peculiaridades. Ambos se referem ao que já foi usado em épocas passadas, mas as abordagens são diferentes, veja bem:

Vintage: tudo aquilo que já foi de fato usado há pelo menos duas décadas e que ainda está em um bom estado, o suficiente para continuar sendo útil no dia-a-dia. Exemplos: na moda, um casaco pouco usado pelo seu avô nos anos 60 e que está ali no guarda-roupa, novinho e bonito, pronto para ser lavado e colocado no corpo; nos produtos, o conjunto de chá de porcelana ganhado de presente no casamento dos seus pais, que sempre ficou mais como enfeite do que na mesa e hoje vai ficar exposto na nova cozinha.

Retrô: é o que apenas se remete ao passado; criado hoje, mas feito para ter um quê de anos 50, 60, etc. Exemplos: na arquitetura, a casa planejada com base em plantas antigas; na decoração, o gesso no teto cheio de rococós em referência ao estilo Luís XV; na moda, o vestido de poá que acabou de chegar da costureira e que teve como inspiração as roupas antigas da sua avó.

Agora chega a hora de diferenciar esses dois rapazes na fotografia e na edição de fotos. A fotografia vintage (geralmente chamada apenas de fotografia antiga) é a que engloba fotos tiradas pelos seus parentes com mais idade quando você nem pensava em nascer, e é claro que não se trata apenas de fotos pessoais, mas também jornalísticas, publicitárias, tudo o que já foi feito no ramo há décadas atrás. Já a fotografia retrô é aquela criada hoje com o intuito de parecer mais antiga, seja feita usando câmeras analógicas, ou editadas no computador.

Lendo tudo isso e entendendo bem os dois conceitos, a gente acaba percebendo que na edição de fotos (lembre-se que a edição é diferente da fotografia em si), tecnicamente o vintage não existe, afinal não temos como editar uma foto no passado para ela se encaixar nessa categoria. Todos os efeitos aplicados, actions, etc que remetem às variadas tonalidades das fotos antigas são e devem ser considerados retrôs. Você sabia disso? Tô ou não tô quebrando um tabu aqui no blog?

Depois de entender tudo isso, nada melhor do que baixar algumas actions retrôs para valer a pena ter lido o texto super didático de hoje, certo? Selecionei (não fui eu que fiz dessa vez) 6 das minhas preferidas e acho que vocês vão gostar também!

Faça o download aqui – Não sabe usar actions?

Gostaram do post? Esclareceu de uma vez por todas essa história? Você também se confundia?

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Quando o assunto é edição de fotos, leitoras e leitores ficam muito interessados nas actions para Photoshop. Desse interesse todo surgem dúvidas aqui e ali: nos comentários dos posts, Twitter, emails, etc. Por isso hoje eu decidi fazer um post reunindo muito do que já foi falado aqui com outras dicas nunca dadas.

Afinal, o que são actions?

As actions são pequenos arquivos do Photoshop que contém os efeitos que você tanto deseja nas suas fotos. A pessoa que cria a action aplica uma série de efeitos e ajustes numa determinada ordem pra que depois não precise mais repetir todo o processo, já fica tudo gravado e pronto pra ser usado. Imagina ter que fazer os mesmos efeitos manualmente em um ensaio inteiro por exemplo? Com as actions, horas de trabalho de edição foram reduzidas a minutos.

Depois dos Quinze

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Hoje vamos entender um pouco mais sobre um dos termos mais conhecidos da fotografia analógica, os light leaks. A tradução para o nosso português é “vazamentos de luz”, e eles não são nada mais nada menos do que aquelas manchas vermelhas, laranjadas e amareladas que sempre apareciam nas suas fotos antigas.

Na verdade, esses vazamentos são de fato acidentes, quando sem querer você abre aquela tampa onde o filme da sua câmera fica. A luz entra naquele espaço e acaba de certa forma “queimando” o filme. Quando isso acontece nós fechamos rapidamente essa tampa de volta, o resultado é apenas uma mancha que geralmente não se “espalha” por todas as outras fotos do filme.

Por ser um acidente, muitos criticam esse tipo de efeito, mas na verdade ele só está ganhando mais espaço hoje em dia, principalmente entre nós, fotógrafos amadores e amantes das fotografia analógica. Quando eu descobri isso tudo, fiquei louco pra tentar fazer o efeito artificialmente, no Photoshop. No início foi um desastre, mas com o tempo as coisas melhoraram. Vou mostrar meus dois jeitos de conseguir os tons certos, e uma dica que vai ajudar a parecer mais real.

DEGRADÊ E PINCEL

Depois de editar sua foto, crie uma nova camada de degradê que vá do vermelho (não muito forte, um vinho de preferência) até o transparente. Ajuste o ângulo do degradê e o tamanho. Depois é só colocar essa camada no modo de mesclagem divisão e pronto! Você pode fazer esse processo usando o pincel em vez do degradê, mas use um bem esfumado. É só pintar com o vermelho nos cantos da foto, onde achar que fique melhor e mudar o modo des mesclagem. Entenda melhor no print.

TEXTURAS PRONTAS

O deviantART disponibiliza poucas texturas desse tipo, mas as que tem ajudam e muito. É só vir aqui, abrir cada uma, salvar, e quando aplicar na foto, coloque no modo de mesclagem divisão, como no caso acima.

DICA

O mais importante pra fazer esse efeito é saber do que estamos falando, se você não sabe, dê uma olhada aqui. Agora fica fácil. Faça os efeitos pensando nessas fotos, tente copiar os mesmos tons, faça de tudo pra ficar parecido, pois apenas colocar um degradê laranjado não vai te dar o resultado de foto aparentemente analógica e acaba ficando muito ruim como já vi muito por aí.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+