Tag: obturador - Melhor Ângulo

Você já leu sobre exposição e entendeu como funciona a abertura do diafragma. Hoje a gente continua nossa série “Fotografia do começo” com o tema “velocidade do obturador”.

O obturador é uma espécie de cortina dentro da câmera por onde a luz passa e chega até o sensor digital ou ao frame do filme (se você está usando uma analógica). A tarefa do fotógrafo é definir o tempo que ele ficará aberto, ou seja, a velocidade do “abrir e fechar” do obturador, para que a quantidade correta de luz entre no mecanismo da câmera.

Como estamos falando de tempo, a unidade de medida da velocidade do obturador é o segundo (s), indo das frações de segundo até às longas exposições de minutos e até horas, por exemplo: 1/100s (1 segundo dividido por 100), 1/2000s (1 segundo por 2000), 5s (5 segundos). Na câmera, as velocidades vêm assim:

Quem lembra daquele post de abril onde eu mostrei como as fotografias “congeladas” são feitas? Pois é, a velocidade do obturador é crucial na hora de criar uma foto desse tipo, afinal a finalidade é parar aquele milésimo de segundo em questão. Num ambiente bastante claro, 1/500s já é o suficiente para começar a parar o tempo, mas é claro que o valor pode variar de acordo com o objeto fotografado. Por exemplo: um beija-flor bate as asas muito mais rápido do que você aí abanando os braços com a intenção de imitar um pássaro, ou seja, o beija-flor vai requerer uma velocidade maior. Tudo isso tem que ser levado em conta.

Da mesma forma, principalmente em fotos noturnas, você vai precisar deixar a câmera exposta por mais tempo para conseguir um resultado legal, e isso deve ser feito sempre com a ajuda de um tripé ou um apoio para evitar “tremidos” na foto. Logicamente, não vale aparecer bem no meio da cena e começar a dançar, porque você vai virar apenas um borrão; faça coisas do tipo apenas se for intenção, como aquelas fotos de grandes avenidas em movimento, tipo essas:

Então você leu o post sobre diafragma e está confundindo a função dele com a do obturador? Saiba que eles trabalham em conjunto para que a quantidade de luz que passa pelo obturador seja bem controlada. Basicamente um compensa o outro, é como algumas continhas de 2ª série:

Imagine que a câmera precise de uma quantidade 12 de luz para formar uma foto. Para isso, eu posso deixar o diafragma numa abertura 5 e a velocidade 7 para que juntos, o resultado seja o número 12 que eu procuro. Mas isso não impede uma configuração de abertura 9 e velocidade 3, o importante é que dê 12! Na prática, se o diafragma está aberto no máximo, mais luz entra e consequentemente, menos tempo o obturador precisa ficar aberto para a foto sair. Do mesmo modo que, se eu quero uma exposição mais longa (velocidade menor), eu preciso diminuir a abertura do diafragma. Tudo questão de cooperação entre as duas variáveis.

Li, reli, revisei e “rerevisei” o post, acho que ficou o mais claro que eu consegui. Entenderam como funciona a velocidade e como ela trabalha com a abertura? Qualquer dúvida é só comentar, ok? O próximo post será sobre ISO,a terceira ponta do triângulo para uma boa exposição, não suma do M.A. para não perder!

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+