09 • agosto • 2013

Nas três vezes que fiz uma pesquisa de opinião aqui no blog, sempre surgiram alguns pedidos para falar mais sobre música. Particularmente, acho que o tema em si não tem muito a ver com a proposta do Melhor Ângulo, e a maioria de vocês deve concordar. Mas de vez em quando fico fascinado por fotografias, vídeos e até publicidade de determinado(a) cantor(a) ou banda; e aí sim, esse tipo de coisa dá para encaixar na agenda editorial do MA. É interessante porque eu consigo mostrar esses cantores de um ângulo que até então passava despercebido. :)

É o caso da Birdy (nome artístico para Jasmine van den Bogaerde), dona de apenas 17 anos e uma voz maravilhosa! Desde que conheci o trabalho dela no início de 2012 por indicação de um amigo, a primeira impressão que eu tive já foi ótima, por causa das fotos promocionais da cantora, especificamente as do álbum homônimo lançado em 2011. Além de linda, as fotos seguem uma linha de simplicidade que têm tudo a ver com personalidade, a beleza e a própria música dela. Pena que não consegui encontrar o fotógrafo responsável, se alguém souber por favor me avise nos comentários.

(1)

(2)

(3)

(4)

Os clipes da moça também não perdem em qualidade visual. Dos cinco vídeos lançados oficialmente, meus preferidos são, nessa ordem: Wings (primeiro single do novo álbum, inclusive), People Help The People e 1901. Ao assistir, dê preferência ao HD e preste atenção nos cortes e na fotografia.

A Birdy vem sendo muito falada desde que começou sua carreira oficialmente em 2011, você já tinha ouvido falar dela? Deixe um comentário, me conte o que achou. ;)

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



11 • outubro • 2012

Matthieu Bessudo, vulgo Mcbess, é um designer multifuncional residente em Londres. Sua arte mistura os antigos cartoons americanos com símbolos e surrealismo contemporâneo. Eu sendo um pseudo-old-school-rock, quando vi pela primeira vez os trabalhos, simplesmente fiquei pirei!

Na verdade, conheci Mcbess quando estava a procura de um papel de parede descente para meu computador, sou muito rígido quanto a isso! A primeira impressão que eu tive é de que as ilustrações foram feitas para os primeiros desenhos animados do Mickey pelo próprio Walt Disney, mas com as cenas tipo underground, logo vi que o buraco era mais embaixo.

Não satisfeito com sua brilhante carreira como ilustrador e designer (Mcbess já foi diretor na The Mill, uma produtora de efeitos especiais ganhadora do Oscar!), ele ainda tem uma banda de rock chamada Dead Pirates, onde mostra seu jeito com a guitarra. Ser bom em uma só coisa pra quê, né?

Ele ainda disponibiliza as músicas por um preço bem bacaninha no site da banda. Gostaram das ilustras dele? Já é um dos meus favoritos! Fiquem com um dos vídeos com uma música:

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Proin nec pharetra odio. Vestibulum at semper ante. Pellentesque feugiat lobortis facilisis.
Compartilhe:



17 • fevereiro • 2012

Se aqui no Brasil ter um programa de calouros de boa qualidade é raríssimo, nos Estados Unidos o negócio não é bem assim. Por lá, as séries brigam entre si na qualidade e quem acaba ganhando somos nós, os telespectadores.

O reality show de calouros mais duradouro na terra do Tio Sam é, sem sombra de dúvidas, o “American Idol” e provavelmente este deve ser o formato que nós brasileiros estamos mais habituados, já que duas emissoras brasileiras já fizeram versões nacionais, que infelizmente não chegaram aos pés do que é apresentado no exterior. A série ficou conhecida pelos ácidos comentários do jurado Simon Cowell que não poupava críticas aos candidatos.

Atualmente em sua décima primeira edição, o “American Idol” já lançou diversos artistas da qualidade, cujos destaques são Kelly Clarkson (primeira temporada, 2002), Carrie Underwood (quarta temporada, 2005) e Jordin Sparks (sexta temporada, 2007). Salvo mais um ou dois, o restante dos vencedores do programa foram esquecidos e pouco aparecem na mídia atualmente.

Criada pelo mesmo jurado do “American Idol”, Simon Cowell, o “X Factor” chegou aos Estados Unidos pela primeira vez no ano passado depois de anos de glória e sucesso no Reino Unido, país que recebeu a série pela primeira vez lá em 2004. Ao contrário do primeiro reality citado neste artigo, o “X Factor” é um show a parte, fazendo de cada apresentação algo único. O que pode ser bom ou ruim.

O interessante é que nesse programa em especial, os candidatos são separados por grupos: garotas, garotos, grupos e acima de trinta anos, o que torna a rivalidade entre os jurados algo surpreendente, fazendo com que defendam seus pupilos com todas as forças.

Melanie Amaro foi a primeira vencedora da versão americana do programa, mas no Reino Unido talentos indiscutíveis são descobertos a cada ano. Destacam-se Leona Lewis, Alexandra Burke, Rebecca Ferguson, Olly Murs, Cher Lloyd e a nova sensação britânica: One Direction. O mais legal é que nem todos eles ficaram com o primeiro lugar, mas começaram a ganhar atenção do público graças ao programa, superando até mesmo alguns dos vencedores.

O “The Voice” chegou quietinho em 2011 com a proposta de mudar o conceito de programas para calouros. Aqui, os mentores Christina Aguilera, Adam Levine, Cee Lo Green e Blake Shelton ficam de costas para o candidato enquanto ele se apresenta. Se houver interesse de algum pela voz do participante, este deverá apertar um botão e a cadeira se vira para o calouro.

E se dois mentores se interessarem pela mesma pessoa? É aí que você deve agradecer porque a diversão vai começar. Caso isso aconteça, quem escolhe o grupo que quer ingressar é o próprio candidato. A rivalidade entre Christina Aguilera e o vocalista do Maroon 5, Adam Levine, é gigantesca e garante ótimas risadas. O que ainda é mais legal é que não há humilhação dos candidatos, como acontece com o “X Factor” e “American Idol”. No “The Voice” os jurados preferem ser chamados de mentores e chegam até mesmo a se apresentar com os participantes de seu grupo.

A segunda temporada estreou no dia 05 de fevereiro, garantindo à série uma audiência de 37,6 milhões de telespectadores. Um número que não era visto em programas não esportivos há seis anos, isso é pouco? Segura essa então: o programa já tem uma terceira temporada garantida e ao que tudo indica, ocorrerá ainda esse ano. Em 2011, à meu contragosto, o primeiro vencedor foi Javier Colon.

Essa semana o tema foram as séries para calouros, mas a opinião de vocês é sempre muito importante. Vou ficar aguardando algumas sugestões para o próximo artigo!

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Proin nec pharetra odio. Vestibulum at semper ante. Pellentesque feugiat lobortis facilisis.
Compartilhe: