Tag: dupla exposição - Melhor Ângulo

A fotógrafa Mariam Sitchinava criou em 2013 um projeto experimental chamado Illusory, onde basicamente compartilhou rolos de filme com fotógrafos de cada canto do mundo sem contar exatamente o que havia fotografado. Os quatro convidados foram respectivamente Annette PehrssonGeneviève BjargardottirHana Haley e Lukasz Wierzbowski.

Com os registros sobrepostos, os resultados foram duplas exposições inesperadas e lindas como essas:

illusory-annete-1

illusory-annete-4

illusory-annete-5

illusory-annete-2

illusory-lukasz-1

illusory-annete-3

illusory-annete-7

illusory-lukasz-2

illusory-annete-6

Mariam Sitchinava · Site · Instagram · Tumblr · Flickr

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Nós já vimos aqui no blog que exposição é quando o mecanismo da câmera fica literalmente exposto à luz exterior e assim, a foto é formada. Acontece que em algumas câmeras analógicas, é possível expor duas vezes (ou mais vezes, tornando-se múltipla exposição) em cima de uma única pose do filme, criando essa mistura de luzes e formas que a gente adora!

Como na fotografia digital não tem essa, nos resta levar a dupla exposição para a fase da pós-produção, usando nosso amigo Photoshop ou um derivado. E não é nem um pouco difícil, tá?

Segunda-feira (15) foi ao ar no Depois dos Quinze um post meu falando sobre modos de mesclagem na hora de criar efeitos (cores, contraste, etc) nas fotos. Resumindo, os modos de mesclagem servem simplesmente para misturar, fundir uma camada na outra.

Escolha duas fotos para fazer a dupla exposição e abra ambas no Photoshop. Se você não está vendo a aba de camadas, aperte F7 ou vá no menu Janela > Camadas. Selecione uma das fotos (Ctrl+A), copie (Ctrl+C) e cole (Ctrl+V) por cima da outra. Com a foto de cima selecionada, agora é só ir mudando o modo de mesclagem até encontrar um que fique bom. :)

Mas calma, a ordem das fotos influencia. Para colocar a foto de baixo por cima, você precisa desbloqueá-la (viu o cadeadinho no print?) porque ela é a camada de fundo, e por padrão, as camadas de fundo ficam bloqueadas para não causarem problemas na hora da edição. Basta clicar duas vezes na camada, Ok na janela que aparecer, e pronto. Agora é deixar na ordem que você quiser arrastando as camadas. Lembrando que a foto de baixo precisa estar sempre no modo de mesclagem Normal e com opacidade 100% pra dar certinho.

Dica útil: nossa intenção é simular uma dupla exposição feita como nas câmeras analógicas, e se você reparar bem, a maioria são compostas de uma foto de silhueta e uma outra aleatória que na mistura, acaba preenchendo a silhueta! Os modos de mesclagem que fazem isso são o Clarear (Lighten em inglês) e Divisão (Screen).

Olha os exemplos que eu fiz aqui rapidinho:

Eu vinha prometendo ensinar isso há tanto tempo, mas enfim, tá aí o post. Espero que tenham gostado, e pra terminar… não podiam faltar umas fotos bonitonas pra gente se inspirar, né?

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Dan Mountford é um jovem fotógrafo inglês, estudante de design gráfico e criador de uma incrível série intitulada “O mundo dentro de nós”. Todas as suas imagens são simples, criativas e interessantes, buscando aquilo que a realidade da vida cotidiana não nos mostra e a execução do pensamento e da composição.

O fotógrafo explora o uso da dupla exposição. Basicamente, essa técnica permite  que você tenha uma imagem sobreposta a outra (já rolou post por aqui), que neste caso trouxe um resultado magnífico!

Não se sabe ao certo se ele trabalha apenas com editores de imagem, mas não importa, as fotografias já transmitem sua beleza de um jeito ou de outro. Gostaram? Já conheciam o processo de dupla exposição? Encontre mais do trabalho do Dan no Flickr.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Em termos fotográficos, exposição é o momento em que a luz entra na lente para formar a foto, é quando o mecanismo da câmera fica literalmente exposto à luz exterior: quanto maior o tempo de exposição, mais clara ficará a foto depois de pronta (mais óbvio impossível) e o contrário acontece quando o tempo for menor.

Nas câmeras analógicas existe um recurso que permite fotografar duas vezes em cima de um único fotograma: o mecanismo libera o obturador sem que o filme avance, deixando você fotografar mais uma vez no mesmo local em que uma primeira imagem foi feita, criado essa mistura incrível de luzes e formas!

Mas não é exatamente toda câmera de filme que te dá essa possibilidade: as automáticas vêm com anti-dupla exposição, passando o filme logo depois que você bate uma foto. Mas afinal, qual é a câmera certa pra fazer o efeito? As digitais não fazem? E tem como criar tudo no Photoshop mesmo? Essas perguntas serão respondidas num próximo capítulo, nesse mesmo horário, nesse mesmo blog. Agora que tal alguns bons exemplos?

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+