Tag: design - Página 3 de 3 - Melhor Ângulo

Quando eu postei essa receita de frappuccino aqui no blog, contei que só há pouco tempo comecei a gostar mais de café. Acho que o problema é que antes eu só conhecia o preto expresso ou passado na hora, não sabia a fundo sobre as mil variações e misturas que podem ser feitas. O legal é que esse novo paladar se juntou à minha fascinação pelos ambientes propriamente ditos dos cafés gringos (aqui tem até um post de inspiração) e nessa ~onda~ hoje o post é dedicado a identidades visuais tanto do grão quanto dos estabelecimentos. Fiz uma seleção com 8 projetos retirados lá do Behance, todos entre os meus favoritos. Já peço desculpas por não colocar todas as imagens dos projetos, é pra não ficar gigantesco. Mas é só clicar no link de cada um e ir lá ver tudo na íntegra! Ó só:

Fernwood Coffee

O que mais me conquistou nesse projeto de identidade visual foram as cores que têm uma pegada náutica, mantendo-se sempre no branco, vermelho e azul marinho. A razão para o estúdio Glasfurd & Walker ter tomado essa direção provavelmente se deu porque a base desse café fica em Victoria, no Canadá, uma cidade portuária de navios-cruzeiro. A solução não só trouxe identificação com a cidade e o comércio local como combinou muito bem com a proposta intimista e até um pouco retrô que cafés geralmente têm.

Fernwood Coffee

J. Hornig

A J. Hornig é uma marca tanto de café em grão como também tem seus espaços espalhados pela Áustria. Esse projeto desenvolvido pela Moodley envolveu toda a identidade visual, que se estende até mesmo aos triciclos ambulantes que levam café até as pessoas! As principais cores escolhidas são o marrom, vermelho e branco, combinação que me apaixona só de olhar! Outras cores de apoio são o azul e o verde musgo. Vale a pena ver todas as imagens do projeto, porque são muito lindas e bem clicadas. ;)

J. Hornig

Miscela di Caffè in Grani

Esse segue uma tendência mais moderninha e minimalista que tenho visto bastante no Behance. Reúne a presença de uma fonte bem redondinha em caixa alta, cores claras e até fluorecentes, e ilustrações que aparecem geralmente em forma de padronagem. Lindo!

Miscela di Caffè in Grani

JOCO

A JOCO não produz nem é um café, e sim uma empresa que fabrica copos próprios para a bebida. A ideia aqui é proteger o meio ambiente de hábitos ruins como o do copo descartável (de plástico ou isopor) e continuar bebendo o café diário com estilo, num produto feito com materiais pensados sustentavelmente. Bacana, né?

JOCO

General Cafe

O General Cafe fica em Gettysburg, na Pensilvânia, e também tem a preocupação de ter produtos pensados de forma ecológica. A identidade visual é simples, mas cumpre seu papel de forma muito dinâmica. Destaque para os vários ícones criados para a marca e essa colherzinha de mexer o café que é até bastante comum lá fora, mas que deveria aparecer com mais frequência nos estabelecimentos brasileiros. Uma oportunidade de aplicação muito bonitinha para marcar a presença de um logotipo!

General Cafe

The Reformatory Caffeine Lab

Essa não é uma coffee shop como as outras. Simon Jaramillo é um cara que cresceu numa família que cultiva café há 110 anos e por isso virou um alucinado pela arte de colher, secar, moer e usar o grão nas bebidas. O The Reformatory Caffeine Lab tem a proposta de trazer uma experiência totalmente nova para os visitantes, algo muito ligado a todo esse processo de produção, à “química” do café. O mais legal é que o lugar tem também uma ligação com os quadrinhos, com inúmeras ilustrações nas paredes, várias delas em homenagem ao Coringa, personagem da DC Comics.

The Reformatory Caffeine Lab

Joe’s Coffee

Nos Estados Unidos é muito comum a expressão “a cup of joe” quando alguém pede por uma xícara de café, e essa foi a frase que inspirou a criação do Joe’s Coffee. A identidade visual do lugar é baseada na silhueta do rosto de um homem, mais precisamente o próprio Joe que deu origem à expressão. É uma história meio longa que não vale a pena ser contada aqui, mas digamos que esse Joe viveu há muito tempo e era bem importante, hahaha. Toda a papelaria do café também tem um ar bem retrô, que condiz com o tempo da história que deu origem à tudo isso. :)

Joe's Coffee

Dorigenn

E pra finalizar, taí um projeto que achei bem brasileiro, e não tive essa impressão necessariamente por causa das cores, mas sim pelas ilustrações bem tropicais. Só depois fui descobrir que a marca é colombiana, daqui do lado! Toda essa estética está aí para representar diferentes regiões nos arredores da Colômbia (inclusive Amazônia) e o que elas podem trazer de sabores e aromas para o café. Muito legal, né?

Dorigenn

É isso, espero que tenham gostado desse post mais focado em design. Prometo trazer mais conteúdo bacana pra essa categoria! Comenta aqui embaixo o que achou! ;)

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Eu venho reparando desde sei lá, ano passado, que a cor mostarda vem aparecendo em todos os cantos: moda, decoração, design, etc. Particularmente, no verão e outono ela sempre dá as caras com mais força; no verão por ser bem vibrante e no outono por ser um tom terroso e ter tudo a ver com essa época das folhas secas (que rola mais no hemisfério norte, infelizmente). No início eu ficava meio assim, olhando torto, mas nos últimos meses isso mudou de uma hora pra outra e eu me vi obcecado e querendo ter mil coisas nessa cor! Meu amarelo de cada dia que me desculpe.

Pensando nisso, montei um moodboard com imagens que representam o mostarda nos contextos que eu citei: de peças de roupas à pôsteres e itens decorativos. O post de hoje também é uma tentativa de voltar com montagens desse tipo, que eu gosto demais, mas que me irritavam porque as imagens originais e grandonas não ficavam separadinhas caso vocês quisessem salvar ou jogar no Pinterest. :( Mas desencanei e acho que fica bonito e agrega no quesito inspiração, não acham?

Moodboard mostarda

Pra terminar, fotos de uma bermuda que comprei na C&A há algumas semanas e que é a peça do momento no meu guarda-roupa. Custou só R$39,90 (uma pechincha) e eu estou apaixonado. :)

Bermuda mostarda

Bermuda mostarda

Bermuda mostarda

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Sexta-feira eu pedi um lanche por telefone aqui na minha cidade, no lugar mais cheio e badalado. Fiquei decepcionado que com tanto público fiel, eles não se importaram até hoje em deixar as coisas mais bem apresentadas, entregues em embalagens tão bem feitas quanto seus lanches (muito bons).

Isso me fez lembrar que eu já tinha reparado há mais de um ano atrás nas embalagens que algumas filiais do Burguer King usavam: incríveis, cheias de ilustrações com traços grossos e pesados, coloridas de forma bem chapada, mas com uma cartela de cores muito bonita, não tão chamativa quanto a maioria, apenas diferente. Fiquei impressionado. Decidi pesquisar e descobri que elas foram criadas pelo designer e ilustrador David Iglesias em 2010 (vale ver o site do cara). Cá entre nós, dá vontade de levar o copo, o saquinho de batata, tudo pra casa. Sem mais delongas, olha aí:

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Eduardo Recife é um artista e ilustrador nascido em 1980 em Belo Horizonte, MG (brasileiros talentosos, a gente mostra). Em meados dos anos 90, começou a trabalhar na área e desde criança já sabia que tinha talento pra coisa. Ele conta no próprio site que costumava ter mais desenhos e rabiscos nos cadernos do que anotações e fazia tatuagens nos amigos com canetinha preta. Em entrevistas ele também já explicou que sempre foi apaixonado por coisas retrôs, até mesmo roupas usadas, decoração e principalmente os elementos gráficos, tanto que essa é sua marca hoje em dia, um trabalho feito ontem por exemplo consegue ficar com cara de 70 anos atrás na mão do mineiro.

Eu, Zé, como sou louco por colagens e suas milhares de composições possíveis, não poderia deixar de falar dele. Já conhecia algumas imagens há muito tempo, mas só no começo do ano passado descobri de quem se tratava numa das aulas da faculdade.

Eduardo produz a maioria dos recortes e coisas que usa nas colagens: papéis amassados, rabiscos, rasgos e até as fontes! Essas últimas são feitas à mão e finalizadas no computador, você encontra pra compra aqui. Programas de edição também fazem parte do trabalho dele, com eles Recife faz retoques, altera cores, mas segundo suas próprias palavras, “não se deixa virar escravo do mouse e da cadeira“.

Gostou do trabalho dele? Não é incrível? Então vai lá no site dele, o Misprinted. Tem todos os trabalhos e alguns materiais grátis como algumas fontes, brushes, texturas e wallpapers!

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+