Tag: design - Melhor Ângulo

Em outubro de 2016 o designer e diretor criativo Magdiel Lopez resolveu dar início a um projeto experimental: criar um pôster por dia, por um ano. Todos eles seguem uma mesma linha tipográfica mais simples, abrindo espaço para dedicação total às imagens que compõem cada um, e, por causa dessa periodicidade diária, o estilo de Magdiel fica bem evidente: a vibe é muito surrealista, com bastante distorção, fragmentação de partes do corpo, cores e gradientes vibrantes, iluminação e cenas inusitadas. O destaque fica para as composições, que são muito boas e contribuem pra que cada pôster seja um mais lindo que o outro!

Projetos diários como esse são super proveitosos para qualquer criativo, uma vez que nosso trabalho é muito pautado na prática. Se você fotografa, o Projeto 365 pode ser uma boa. Se é designer, tem o Daily UI Challenge, e é claro, dá pra criar sua própria meta com seu próprio tema, como Magdiel fez. Bora tentar?

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

A Poster Every Day Magdiel Lopez

Magdiel Lopez · Site · Instagram

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Hoje, dia 26 de junho de 2017, é o aniversário de 20 anos do lançamento do livro Harry Potter e a Pedra Filosofal, primeiro da saga homônima de J. K. Rowling. Eu infelizmente não cresci lendo os livros e assistindo os filmes todo ano como a maioria dos meus amigos, só fui conhecer o mundo mágico bem mais tarde, na adolescência, mas mesmo assim me tornei um apaixonado por tudo que envolve o assunto.

Inspirado nesse dia, nada mais justo que compartilhar com você aí um projeto de design com uma temática bem bruxa, né? Vira e mexe a série de livros recebe uma nova edição com capas inéditas, a gente sabe disso e haja bolso pra ter todas. Daí que a designer Raxenne Maniquiz, fã de carteirinha, criou suas próprias capas fictícias, em comemoração ao aniversário de 34 anos de Harry em 2014. A referência que ela utilizou foi o trabalho de Jan Tschichold numa coleção para a Penguin Scores, lá em 1949.

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Capa minimalista Harry Potter e a Pedra Filosofal de Raxenne Maniquiz

Capa minimalista Harry Potter e a Pedra Filosofal de Raxenne Maniquiz

Harry Potter e a Câmara Secreta

Capa minimalista Harry Potter e a Câmara Secreta de Raxenne Maniquiz

Capa minimalista Harry Potter e a Câmara Secreta de Raxenne Maniquiz

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Capa minimalista Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban de Raxenne Maniquiz

Capa minimalista Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban de Raxenne Maniquiz

Harry Potter e o Cálice de Fogo

Capa minimalista Harry Potter e o Cálice de Fogo de Raxenne Maniquiz

Capa minimalista Harry Potter e o Cálice de Fogo de Raxenne Maniquiz

Harry Potter e a Ordem da Fênix

Capa minimalista Harry Potter e a Ordem da Fênix de Raxenne Maniquiz

Capa minimalista Harry Potter e a Ordem da Fênix de Raxenne Maniquiz

Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Capa minimalista Harry Potter e o Enigma do Príncipe de Raxenne Maniquiz

Capa minimalista Harry Potter e o Enigma do Príncipe de Raxenne Maniquiz

Harry Potter e as Relíquias da Morte

Capa minimalista Harry Potter e as Relíquias da Morte de Raxenne Maniquiz

Capa minimalista Harry Potter e as Relíquias da Morte de Raxenne Maniquiz

São capas mais minimalistas, com uma ilustração que se repete criando um padrão diferente para cada volume. O que mais me chamou a atenção foi como as capas ficaram clássicas e captaram a vibe de Harry Potter mesmo nessa pegada mais clean e direta ao ponto. O acabamento sugerido é em tecido, imagina que linda seria essa edição se ela tivesse sido produzida de verdade? Vale conhecer mais o trabalho da designer e claro, mergulhar novamente nos livros. ;)

Raxenne Maniquiz · Behance · Instagram · Twitter

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Eu já contei aqui que sonho em abrir um café um dia. É um tema que nunca me cansa e que sempre gera conteúdo bacana quando estou pesquisando por projetos de identidade visual e interiores, por isso me propus a compartilhar alguns dos meus achados aqui no blog, na tag Cafés Pelo Mundo. Vocês podem ver aqui, aqui e aqui outros posts que já entraram no assunto. :)

O café de hoje é o Stories, que fica em Oakwood (Reino Unido) e serve café artesanal, sucos prensados a frio e um menu baseado na cultura local. O conceito por trás do lugar é de que todos tem uma história para contar, e a deles é sobre a relação muito próxima que têm com seus fornecedores, selecionados a dedo. O briefing do projeto foi focado justamente nesse comprometimento com a origem dos produtos do café e também numa inspiração escandinava, presente na decoração e na apresentação dos pratos. Para transformar a teoria em prática, o estúdio independente Passport (Leeds, Reino Unido) foi o responsável pela criação da identidade, papelaria e auxílio nas embalagens.

Basicamente, a ideia de que “tudo tem uma história por trás” foi o ponto de partida e permeou toda a criação. A base dos impressos, por exemplo, foi definida depois de uma pesquisa sobre papeis produzidos de formas não convencionais. Os escolhidos são feitos de subprodutos (restos) de cítricos, uvas, couro e da massa de grãos que sobra na produção de cerveja. A consequência natural do uso desses materiais é uma paleta de cores de tons frios e pastel. Muito interessante esse caminho que eles escolheram seguir, né?

Os cardápios tem tamanhos diferentes para cafés, comidas e sucos, e são presos em placas de madeira com um elástico, o que facilita a atualização.

Mini panfletos que contam como funcionam os processos no café.

O logo, simples e contemporâneo, utiliza os pontos para representar as pessoas por trás de tudo: os funcionários, clientes e fornecedores que criam as histórias. Ligando esses pontos é possível contar ainda mais histórias, sobre a viagem dos ingredientes da fonte original para o café, por exemplo.

As garrafinhas dos sucos são impressas somente com tinta branca e possuem apenas dois elementos: o logotipo e a lista de ingredientes, para deixar claro aos clientes que nenhuma substância extra e duvidosa foi adicionada.

Acho lindo quando uma marca tem uma construção simples, mas vai direto ao ponto e comunica seus significados. Bra-vo!

Stories Cafe
Roundhay Road, 454, LS8 2HU · Leeds · Reino Unido
Site · Instagram

Passport
Site · Behance · Instagram · Facebook

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Dando continuidade à série de posts sobre cafés, dessa vez ele é fictício. É que a equipe do estúdio de design Saturday Studio criou como forma de exercício a marca Talihina, especializada em cold brew coffee, um tipo de preparação hype do momento onde o café é passado com água fria, por mais tempo, e assim adquire um sabor diferente, mais suave e adocicado até. A intenção do projeto foi praticar um pouco de naming, branding, impressão e design de embalagens, tudo isso livre do briefing limitador que muitos clientes trazem.

A identidade foi inspirada na filosofia de quem produz em baixa escala, no cuidado que os produtos não industrializados recebem em toda a simplicidade que um pequeno lote de café receberia. As impressões no vidro foram feitas uma a uma e o resultado é que nenhuma garrafa ficou exatamente igual às outras.

E assim as garrafas ganharam o logotipo da Talihina!

Tirar um tempo para trabalhar em projetos pessoais e paralelos assim é sempre uma ideia válida, afinal sair do automático e criar algo por prazer acelera o metabolismo de qualquer designer que está acostumado com a rotina de agência, certo? Desse projeto simples e lindo, essa foi a liçãozinha do dia. ;)

Saturday Studio · Site · Instagram · Pinterest · Dribbble

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+