Tag: 2015 - Melhor Ângulo

Álbuns mais ouvidos em 2015

Os assuntos do blog hoje estão divididos em algumas seções, por enquanto definidas só na minha cabeça. Uma delas se chama #ParaRelaxar, e reúne livros, filmes, séries e a partir de hoje… músicas! Nunca fui de falar de música por aqui, mas acho que encaixa bem na proposta dessa nova seção, que virá cheia de indicações pessoais, coisas que vou assistindo, lendo e ouvindo com o tempo.

Talvez ironicamente vou dar a largada nessa categoria com uma retrospectiva gigante de fim de ano. Fiz uma super pesquisa para descobrir os álbuns que eu mais ouvi e curti em 2015, utilizando as estatísticas do Last.fm, Spotify e adaptando alguns desses dados com minha cartada final. Isso porque se eu seguisse os rankings dessas redes à risca, só ia dar Britney Spears nesse post! Um dia vou escrever um pouco sobre minha relação com Britney e porque estou sempre escutando suas músicas, por enquanto hoje a lista tem álbuns que tiveram significados mais específicos na minha vida esse ano. Lembrando que eles não necessariamente foram lançados em 2015, ok? Let’s see.

Marina and the Diamonds - Froot

Marina and the Diamonds – Froot

Conheci o trabalho de Marina em 2012, com o Electra Heart. Na época eu passei meses com o álbum no celular, ouvindo quase todos os dias na ida e volta do estágio que fazia na cidade vizinha. Esse ano ela lançou seu terceiro álbum, Froot, que fica em primeiro na lista por ter sido o mais ouvido e também por ter músicas que transitaram em vários momentos esse ano: alegres, de bad, de rancor… As letras abrangem várias situações assim mesmo, de composição Marina entende e muito: são simples, profundas ao mesmo tempo e cheias de significado. Menos radiofônico que o anterior, mas também muito mais interessante e fiel à personalidade da cantora, que parece ter finalmente se encontrado na indústria.

Ouvi em vibes de: bad e alegria
Músicas preferidas: I’m a Ruin, Blue, Forget

Marina and the Diamonds - The Family Jewels

Marina and the Diamonds – The Family Jewels

Marina de novo! Um dia decidi ouvir o primeiro álbum dela com mais calma, nunca tinha prestado muita atenção por achar que não seria tão bom. Queimei a língua bonito. The Family Jewels foi um debut super significativo na carreira de Marina, um álbum repleto de críticas à indústria da música, à sociedade e até a pessoas próximas que aparentemente duvidavam que ela teria um futuro fazendo o que realmente gosta, como ela conta em Are You Satisfied?Mais leve e divertido que o Froot, porém tão único quanto.

Ouvi em vibes de: autoconfiança
Músicas preferidas: Oh No!, Hollywood, Are You Satisfied?

Foster the People - Torches

Foster the People – Torches

Embalado pela presença do Foster no Lollapalooza em março, fiquei obcecado pelo Torches depois de muito tempo sem ouvir. Tal obsessão perdurou durante o ano todo, o que me levou a conhecer ainda mais sobre a banda que já estava guardadinha no meu coração desde 2011. Inclusive, fiquei chateadíssimo com a saída do Cubbie Fink em setembro, quando um integrante se desliga bate sempre aquele medo de ser o início do fim de uma banda. O Torches teve um papel importante em momentos felizes esse ano, mas Foster the People tem um poder parecido com Marina na minha vida, de transitar em várias situações. O Supermodel por exemplo já é perfeito para momentos de bad e rebeldia, mas enfim, isso não vem ao caso.

Ouvi em vibes de: alegria
Músicas preferidas: Miss You, Houdini, Helena Beat

Continue Lendo

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Todos os anos o mundo do cinema testemunha grandes lançamentos, filmes incríveis, e outros nem tanto. E um dos melhores e mais simples caminhos na hora de divulgar é apostar no fator primeira impressão, ou seja: os pôsteres. Resumir uma história inteira em uma imagem é certamente bem difícil: é preciso estudar o roteiro, os personagens, a fotografia, enfim, entender o filme como um todo para tentar traduzir tudo isso em um pôster que chame atenção, seja esteticamente interessante e signifique alguma coisa de fato.

Em 2015 tivemos ótimos exemplos disso. O engraçado é que coincidentemente (ou não) vários dos melhores pôsteres que eu selecionei são de filmes que também tiveram boas críticas. Acho que isso mostra o cuidado que as esquipes de produção tiveram em todos os sentidos: quando é pra ser bom, vai ser bom em tudo.

São 15 cartazes, alguns com mensagens ocultas, outros que se destacam pela delicadeza. Dica: tentem entender os pôsteres sem assistir aos filmes, depois assistam e analisem de novo. Um bom exercício pra treinar o olhar. ;)

Pôster Perdido em Marte - Os melhores pôsteres do cinema em 2015

Perdido em Marte

Pôster Brooklin - Os melhores pôsteres do cinema em 2015

Brooklin

Pôster Carol - Os melhores pôsteres do cinema em 2015

Carol

Continue Lendo

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Metas 2015

2014 foi um ano difícil. Novas responsabilidades, novos compromissos, e muita barra pra segurar. Tive que rever minhas prioridades temporariamente, e pra isso acabei deixando de lado muito do que eu gostaria de ter feito. A sensação foi de que tudo foi empurrado com a barriga, sabe? Teve pressão, teve estresse… mas também teve menos solidão e mais amor pra compensar e aliviar toda essa loucura. É claro que nem mesmo nessas relações tudo foram flores, mas eu tento ver toda experiência como uma coisa válida e positiva na minha vida, e posso dizer que no fim das contas, aprendi muito nos últimos 12 meses. Tanta coisa aconteceu, tanta coisa mudou! E se 2014 foi um ano de ação (e bota ação nisso), 2015 será de transição: mais tranquilo, mas ainda um ano daqueles!

Sinto que minha maior necessidade agora é a de organizar a bagunça e colocar a vida no lugar; focar novamente nos meus objetivos e sonhos, e não desistir no primeiro fail. Nunca estive tão determinado a fazer tudo acontecer, ao mesmo tempo que nunca estive tão consciente e com os pés no chão sobre o processo que vai me fazer chegar lá. Nada de sonhar acordado, nada de pensar só no resultado final, e isso vale para todas as metas de 2015! Falando nisso, vamos ver quais são elas?

1

Cuidar da minha saúde: Reuni nessa meta todos os aspectos relacionados à saúde, incluindo uma reeducação alimentar aliada com exercícios prazerosos (andar de bicicleta, por exemplo) que vai me levar a um emagrecimento há muito tempo desejado. Pretendo também colocar aparelho: é uma necessidade, mas sempre acabo enrolando, e já estou ficando muito velho pra isso! Ainda quero cuidar melhor da minha visão fazendo uma nova consulta ao oftalmologista para atualizar o grau e ficar sempre de olho na postura, minhas costas agradecem!

2Gastar meu dinheiro com as coisas certas: Em 2014 consegui tomar algumas iniciativas quanto a isso, mas no geral eu gastei muito mais do que precisava. Está mais do que na hora de evitar esses gastos bobos e usar meu dinheirinho suado com compras mais necessárias, itens para o apartamento principalmente (já chego lá). Roupas por exemplo não são mais prioridade, e levando em conta que eu vou conseguir emagrecer… hahaha, ninguém gosta de perder uma calça bonita porque o número diminuiu, né?

3Investir mais no meu trabalho na internet: Dei um tempo nos freelas há alguns meses por causa do trabalho fixo, mas estou voltando com a criação de layouts para blogs! A ideia é divulgar melhor o que eu faço, falar mais sobre processo de criação, trazer mais desse meu lado hard worker para a internet e assim conquistar novos clientes e criar uma imagem mais sólida como designer.

4Me dedicar ao blog: Nem preciso falar no quanto o Melhor Ângulo sofreu esse ano, né? Bati o recorde de menor número de postagens desde o início do blog em 2011! Mas isso vai mudar, e vem vindo aí um layout novinho em folha pra me deixar mais animado ainda em ver conteúdo novo toda semana aqui, e não queria falar nada, mas um tal de YouTube pode ter a ver com isso… Shhhhhhhh!

5Estudar mais: Aqui, além de me dedicar à faculdade (reta final, finalmente), entra a vontade de ler mais livros técnicos e praticar o que já tenho noção, como Illustrator e algumas técnicas diferentes de fotografia.

Zé Zorzan

6Decorar meu apartamento: Essa é uma meta ongoing, ou seja, já comecei a dar meus toques pessoais por aqui. Mas ainda falta muito, deixar um apartamento inteiro com a sua cara é muito difícil, gente! Mas pode deixar que vocês vão ficar sabendo de muita coisa, porque minhas aventuras provavelmente virarão posts! ;)

7Criar um novo blog: Outro segredo! Mas digamos que uma ideia surgiu casualmente numa mesa de restaurante em pleno sábado 35º de Juiz de Fora, e eu fico ansioso só de pensar! Não, o MA não vai acabar (para a tristeza das inimigas), mas trata-se de um projeto que precisa ser pensado e planejado com calma, até porque o tema é de nicho, então não devo ter novidades até o meio do ano. Mas o objetivo aqui é tirar a ideia do papel o quanto antes, e se depender de mim, isso acontece ainda em 2015!

8Ser meu centro das atenções: Quero dar mais atenção a mim mesmo esse ano, priorizar minha felicidade e bem-estar acima de tudo, e isso em todos os aspectos da minha vida, incluindo trabalho, família, amizades, amores e tempo livre. Me livrar de vez da preocupação com o que os outros pensam (já evoluí muito nisso) é um dos passos principais dessa meta! Venho fazendo isso com mais afinco nos últimos meses e a sensação é tão boa que só quero saber de continuar. :)

9Ser mais social: Dizem que eu melhorei muito quando o assunto é ser social e conhecer pessoas novas, mas eu tenho um problema em manter esses laços por mais tempo, sabe? Conhecer pessoas, fazer novos amigos! Viver uma vida offline ainda mal desbravada, me divertir mais, sair da zona de conforto e me arriscar mais por aí!

10Não me deixar desanimar tão facilmente: No fundo, o mais importante pra tudo isso dar certo é que eu não posso entregar os pontos no primeiro obstáculo. Esse é meu maior defeito, e é ele que sempre estraga todos os meus planos e traz aquele desânimo chato. Tento culpar a tudo e a todos, mas o maior culpado sou eu mesmo, e se engana quem pensa que eu não tenho essa consciência. Ainda não sei exatamente como lidar com isso, mas estou disposto a fazer de tudo para ignorar os pensamentos negativos e lembrar do quanto eu quero transformar todas essas metas em realidade em 2015. Otimismo, otimismo!

É isso, objetivos definidos, prontinhos para serem alcançados! Alguém aí se identificou com um ou vários? Nos vemos no próximo trimestre com o andamento dessa brincadeira toda, hein! Ah, e se você chegou até o fim do post, me comunique nos comentários para receber seus merecidos parabéns! ;)

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+