Melhor Ângulo - Fotografia, decoração, design e tudo o que me inspira!

Em termos fotográficos, exposição é o momento em que a luz entra na lente para formar a foto, é quando o mecanismo da câmera fica literalmente exposto à luz exterior: quanto maior o tempo de exposição, mais clara ficará a foto depois de pronta (mais óbvio impossível) e o contrário acontece quando o tempo for menor.

Nas câmeras analógicas existe um recurso que permite fotografar duas vezes em cima de um único fotograma: o mecanismo libera o obturador sem que o filme avance, deixando você fotografar mais uma vez no mesmo local em que uma primeira imagem foi feita, criado essa mistura incrível de luzes e formas!

Mas não é exatamente toda câmera de filme que te dá essa possibilidade: as automáticas vêm com anti-dupla exposição, passando o filme logo depois que você bate uma foto. Mas afinal, qual é a câmera certa pra fazer o efeito? As digitais não fazem? E tem como criar tudo no Photoshop mesmo? Essas perguntas serão respondidas num próximo capítulo, nesse mesmo horário, nesse mesmo blog. Agora que tal alguns bons exemplos?

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

decoração para quartos

Pleno começo de ano e todo mundo além de querer dar uma repaginada no visual e na vida, também quer dar aquela arrumadinha no quarto afinal todos nós acabamos enjoando ou da cor da parede ou dos móveis e aí vem aquela pergunta: “Onde eu estava com a cabeça quando escolhi isso?”

Contudo, não basta vontade para que o quarto se redecore sozinho, é necessário ter também o tal do dinheiro. E geralmente uma quantia alta já que até em saldões de lojas de decoração e planejados a peça mais barata gira em torno de R$150,00. Então aqui vai uma série de dicas que vão te ajudar a reformar o quarto sem gastar muito:

1) Regra fundamental: primeiramente é de extrema importância que você saiba que se não quer tirar muito dinheiro do bolso, terá que por a mão na massa. Isso inclui colar, lixar, pintar, cortar, costurar, mexer com fiações (para fazer tomadas, por exemplo) e talvez até pregar.

2) Criatividade: com certeza naquele quartinho bagunçado e cheio de coisas velhas que toda casa tem deve ter muita  peça que possa ser reaproveitada. Garimpar objetos, móveis e materiais que estão sem utilidade há um tempo é importante e pode acabar resultando em decorativos muito úteis. Um exemplo é esta guirlanda feita de pisca-piscas e copos descartáveis forrados com tecido (aprenda a fazer aqui).

guirlanda de copos

3) Tempo: Não adianta sair comprando tudo na primeira loja em que você entrar. Bom mesmo é dar uma boa pesquisada antes e procurar por lojas de confiança ou especializadas. Por exemplo, aqui em São Paulo, encontrei nos Armarinhos Fernando porta-retratos por R$ 4,99 e murais de cortiça por R$9,00 para colocar na parede do meu quarto. Um outro exemplo são caixas organizadoras, jamais as compre em lojas de decoração – a não ser que estejam em liquidação –, pois você sempre irá pagar mais caro. Procure comprá-las em lojas que vendam embalagens para presentes, lá o preço sai sempre mais em conta (numa loja habitual onde eu pagaria R$25,00 eu paguei R$ 13,00).

4) Humildade: Também é importante! Encontramos muita coisa nas ruas que podem ser reaproveitadas. Então se você ver algo por aí, jogado do lado de um poste e achar que possa lhe ser útil, não tenha medo nem vergonha! Além de estar economizando, você estará fazendo um favor para a natureza. Olha só essa gaiola: normalmente ela seria jogada fora, mas virou luminária e das bonitas!

sala

5) Confiança: Uma vez me ensinaram que não há nada que não possa ser feito pelas mãos do homem, o que existe é o número de vezes em que ele pode tentar. Então, confiança em você mesmo é crucial nessa área. Se você ver algo na internet ou em alguma loja que você mesmo possa fazer com materiais que você sabe que tem em casa, porquê não tentar? Arrisque sem medo e quantas vezes precisar.

As dicas podem parecer óbvias mas é sempre bom reuni-las em um só lugar para gente refletir um pouco. Continue atento ao Melhor Ângulo para mais toques sobre como economizar na hora da decoração.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

viagem

Férias não são férias sem viagem, né? Tem coisa mais prazerosa do que sair da rotina por pelo menos uma semana e conhecer lugares, pessoas e culturas diferentes?

É difícil encontrar alguém que não goste de viajar e fotografar tudo pra guardar depois como lembrança daqueles dias sem estresse e mostrar pros amigos. Se o passeio for pro exterior então nem se fala, tem que matar todos de inveja mesmo! Pras fotos saírem incríveis na sua ida pra praia, interior, cidade ou pra Disney, Paris (rycos de plantão) preparei esse post com 10 dicas pra tudo correr bem e você não perder o momento de nada.

1) Faça uma pesquisa antes: procure na internet fotos bonitas tiradas no local da viagem pra se inspirar; observe os ângulos, o enquadramento da cena, tudo. Descubra por alto onde são os pontos turísticos e como chegar lá. Checar a previsão do tempo também é uma boa, com essas informações você consegue cumprir melhor a dica número 2.

2) Planeje tudo: liste todos os lugares que deseja conhecer e divida entre os dias que a viagem vai durar. Assim não haverá correria nem indecisão, o que só iria trazer perca de um tempo que deveria ser bem aproveitado.

3) Seja precavido: não preciso nem dizer pra carregar as baterias da câmera na véspera né? Além disso, leve uma segunda também carregada de reserva pra eventuais “surtos fotográficos” onde são tantas fotos que a carga acaba num passe de mágica.

4) Você vai de quê? No caminho do destino, aproveite pra fotografar a estrada e o próprio meio de transporte que você está usando: carro, avião, navio ou triciclo (haha). Os resultados são sempre bem legais.

5) Relembre um pouco de técnica: enquanto não chega, vá relembrando o que você já leu em blogs, livros, etc sobre técnica fotográfica: iluminação, flash, abertura, velocidade, esse tipo de coisa.

6) Tenha paciência: você precisa ter ciência de que é um lugar quase sempre inexplorado; você nunca tinha ido ali antes, as primeiras fotos não vão ser capa da revista National Geographic fácil assim. É preciso um pouco de paciência pra se adaptar, então nesse caso você precisa mesmo é experimentar e ver o que fica bom ou não até conseguir bons resultados.

7) Teste ângulos: essa é simples e fácil: tente fotografar a cena de ângulos inusitados, o que poucos arriscam. As fotos podem ou não sair bem mais interessantes, na dúvida fique com o tradicional também.

8) Acorde cedo: imagine você em Londres ou Nova York dormindo até meio-dia. Não dá, né? Dizem que o ideal é dar uma saída sempre antes do café da manhã (pasmem!) pra pegar a luz da manhã, do nascer do sol, etc. E aí, topa?

9) Arquitetura e mercados: seja clássica, moderna, barroca, futurista, arquitetura é sempre interessante, então não esqueça de fotografar prédios e casas que lhe chamem a atenção. Lojas, mercados, feiras e até mesmo seu prato no restaurante também são pautas legais, tá vendo que é pra ter fotos de tudo mesmo, né?

10) Você aí: não precisa fazer o(a) modelo, ok? Viagem é pra se divertir, brincar, usar aquela roupa que não usaria na sua cidade do interior nem morto(a). Apareça nas fotos rindo, tire algumas brincando de editorial pra Vogue, algumas sérias… O que não pode é tirar uma foto rápida ali e tchau, quase sempre é momento perdido, foto ruim e decepção. Então seja você e não tenha paciência, lembre da dica 6.

Gostou das dicas? Ajudou? Boa viagem e boas fotos pra vocês!

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Quem me segue no Twitter ou já leu meu perfil aqui no blog deve saber que comecei meu curso de Design esse ano na UFJF e pra isso tive que mudar pra Juiz de Fora, uma cidade bem maior que a minha roça habitual (Cataguases). Como a vida não me abençoou com barras de ouro que valem mais do que dinheiro de bandeja, não pude alugar um apartamento pra morar sozinho e acabei me juntando à dois amigos que fizeram o Ensino Médio comigo montando uma república. Depois de um ano aprendendo algumas coisas aqui e outras ali sobre o assunto acho que já posso escrever esse post pra você que terá o mesmo destino que eu em 2012. As dicas vão do tema dinheiro à convivência, anota aí:

1) De quanto dinheiro vou precisar esse mês? No início de todo mês faça uma lista com todos os gastos que serão feitos. Na minha por exemplo entrava aluguel, conta de luz, conta de telefone (com internet), passagens de ida e volta pra minha casa aqui em Cataguases, alimentação e extras. Os itens com preços variáveis como contas de luz e telefone você deve definir em média olhando as contas passadas. E sim, defina um limite de gastos para alimentação com base no primeiro e segundo mês de república pra não exagerar nos próximos. Pense nesse valor dividido por 4 semanas, fica mais fácil de controlar.

2) Anote o que você gastou hoje: tenha um caderninho pra fazer toda semana uma tabela com os 7 dias e anotar no fim de cada um o que você gastou no mercado, cantina da faculdade, etc. No domingo pegue essa mesma tabela e “dê baixa” nas contas do dinheiro que você ainda tem.

3) Defina o que você come: o ideal é cada um comprar, fazer e comer sua própria comida, mas isso só existe num mundo perfeito com cachoeiras de chocolate e nuvens de algodão-doce. Quando alguém comprar alimentos básicos do tipo arroz, feijão, óleo, tempero, carnes e produtos de limpeza (papel higiênico, desinfetante, sabão em pó), pegue a nota fiscal e divida pela quantidade de moradores da república. Se esse alguém comprar muito além do que você deseja consumir, avise que irá circular na nota fiscal aquilo que lhe interessa e faça as contas dos itens. Não preciso dizer que depois você, uma pessoa de noção não atacará o chocolate do colega às 2 da madrugada, né?

4) Nunca esconda comida: as pessoas que moram com você são pessoas legais, afinal você estaria morando ali se não fossem? Então não há necessidade de esconder sua comida, e nem eles as deles. Uma outra ou outra (numa faxina geral por exemplo) sua despensa secreta pode ser descoberta e a fama de egoísta estará magicamente nas suas costas.

5) Usou, lavou: não deixe acumular louça, lave a sua logo depois de usar. Ninguém quer nem vai lavar louça dos outros e quando ela acumula, meu caro… Não há espada que vença o monstro em menos de 3/4 de hora.

6) Escolha um cômodo pra limpar: dar faxina na casa não é fácil por isso além do seu quarto (obrigação, né?) escolha mais um cômodo pra deixar sempre limpo e diga aos seus colegas que façam o mesmo. Aquele que pegar um mais fácil de limpar fica com mais uma tarefa como cuidar de jogar os alimentos vencidos/estragados/mofados fora e organizar a geladeira.

7) Mal humor? Acordou de mau humor ou teve um dia estressante? Feche a porta do quarto e se isole porque ninguém quer levar patada de graça. A dica serve também se o “nervosinho” for algum dos moradores.

8) Pague as contas o mais rápido possível: divida a responsabilidade de pagar as contas, o ideal é que cada um pague sempre uma (estou falando do ato de ir até a lotérica, mercado ou banco, não de dar o dinheiro) e que seja o mais rápido possível afinal dinheiro não é problema se você seguiu a dica número 1. As contas que tiverem datas de vencimento próximas podem ser dadas a uma única pessoa.

9) Aproveite a experiência pra ser mais independente: evite ir todos os fins de semana pra casa dos pais, uma vez por mês é o suficiente. Isso te dará a independência que você precisa começar a ter nessa fase e economia pro bolso dos coroas que apesar de não reclamar da sua presença sabem que pagar passagem de uma cidade pra outra todo o fim de semana não é legal.

10) Não dê motivo: se em família as brigas podem ser constantes, imagina com pessoas criadas de outras formas e com opiniões totalmente diferentes das suas? A dica geral nesse caso é: não dê motivo. Acorde, arrume sua cama, deixe seu quarto organizado, faça suas obrigações e ninguém terá o que jogar na sua cara em nenhum momento.

Essas foram as dicas que vieram à minha mente quando tive a ideia pro post. Ajudou? Morar em república está no seus planos em 2012? Comenta aí, galero bonito.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+