Melhor Ângulo - Fotografia, decoração, design e tudo o que me inspira!

Conheci o canal Dulce Delight há muito tempo, por acaso, procurando alguma receita no YouTube. Lembro que vi um vídeo em inglês e fiquei me perguntando “de onde é o sotaque dessa moça?”. Não é que ela era brasileira? Tô falando da Raíza Costa, a videomaker, diretora de arte, youtuber, apresentadora e confeiteira de mão cheia dona do programa Rainha da Cocada (no GNT) e desse canal maravilhoso no YouTube que me fez nunca perder mais nenhum vídeo.

Além das receitas incríveis — a maioria inspiradas na confeitaria francesa —, a Raíza te prende com uma personalidade positiva, divertida, empoderada e cheia de empolgação, com as simplicidades da vida e o quanto a comida pode nos oferecer em termos de prazer. Ela se importa muito com o que come, procurando sempre produtos de qualidade, de origem orgânica e de preferência num contato direto com o produtor. E não para por aí: os vídeos são sempre recheados de informação técnica e química sobre os ingredientes, por que eles reagem de determinada forma quando misturados, etc. Quase uma aula! Fora a direção de arte e edição, ambas impecáveis. Olha só o trailer do canal:

Toda essa produção criativa e praticamente mágica acontece na cozinha do apartamento da própria em Nova York, no Brooklyn, bairro que ela ama de paixão. A decoração não poderia ser mais ela: colorida, alegre, com inspiração nos anos 50/60 mas arrematada com modernidade, fofa e lúdica mas balanceada com instrumentos pendurados na parede e ilustrações do marido, o diretor de animação Vinicius Costa. Enquanto essa inspiração era mais branquinha, a Raíza não economiza nas cores, e a gente também ama. As fotos são de Lufe Gomes, do Life by Lufe.

Os puxadores? Trocados por ela. A bancada de madeira? Revestimento em cima de uma placa de granito preto que ela odiava, da decoração original do apartamento.

O cachorrinho Lancellotti ao lado do letreiro com a palavra eat (comer!), iluminado no maior estilo novaiorquino.

O pendurador, gente, olha isso. Aliás, as vaquinhas estão presentes em toda a decoração. Muito respeitadas pelo leite que produzem e que Raíza faz questão de comprar dos produtores que melhor as tratam.

As ilustrações com uma pegada surrealista do marido ao lado de uma guitarra e um relógio das antigas.

Pingentes de frutas? É claro que ela tem!

Pra completar, manja só a vista desse apartamento. Quem acompanha os vídeos sabe que Raíza Costa é apaixonada pelo Brooklyn e por Manhattan, não me surpreende que uma boa vista estava entre as primeiras prioridades para o cantinho onde iria morar. Só amor, né? Vontade de visitar, fazer uma receitinha com direito a banho de chocolate e sair conhecendo os lugares secretos de Nova York.

O que achou dessa decoração super pra cima? Já conhecia o trabalho da Raíza? Conta pra mim aqui nos comentários!

Raíza Costa · Canal Dulce Delight · Rainha da Cocada · Site · Instagram
Lufe Gomes · Canal Life by Lufe · Site · Instagram

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

De tempos em tempos sai uma notícia da Rihanna sendo gente como a gente, seja bebendo caipirinha na praia, comprando biquini de vendedor ambulante, comendo coxinha com catupiry no barzinho ou torcendo muito em jogo de futebol. Coincidência ou não, tudo isso aconteceu nas passagens dela pelo Brasil! Por essas e outras eu tenho uma imagem muito pé no chão da cantora, acho que ela consegue sustentar uma aura de elegância como ninguém, mas ao mesmo tempo ser acessível e real.

A edição de março da Paper Magazine trouxe exatamente essa Rihanna na capa, em um ensaio que traz o mix perfeito de informação de moda, glamour e personalidade. As fotos foram feitas numa dessas lojas de conveniência de Nova York, mais precisamente a Alphabet City Deli & Grill, onde a produção urbana e carregada praticamente se mesclou com a locação, visualmente poluída mas organizada em sua própria maneira. É basicamente Rihanna comprando aquela bebidinha pro esquenta com as amigas, gente, não tem como dar errado!

As fotos são do fotógrafo argentino Sebastian Faena, o styling é de Farren Fucci, cabelo de Yusef e maquiagem de Isamaya Ffrench. Para ler o spread da Paper na íntegra, clique aqui. Veja outros ensaios de celebridades na tag #capaderevista.

Rihanna · Instagram · Twitter
Sebastian Faena · Site · Instagram

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Eu já contei aqui que sonho em abrir um café um dia. É um tema que nunca me cansa e que sempre gera conteúdo bacana quando estou pesquisando por projetos de identidade visual e interiores, por isso me propus a compartilhar alguns dos meus achados aqui no blog, na tag Cafés Pelo Mundo. Vocês podem ver aqui, aqui e aqui outros posts que já entraram no assunto. :)

O café de hoje é o Stories, que fica em Oakwood (Reino Unido) e serve café artesanal, sucos prensados a frio e um menu baseado na cultura local. O conceito por trás do lugar é de que todos tem uma história para contar, e a deles é sobre a relação muito próxima que têm com seus fornecedores, selecionados a dedo. O briefing do projeto foi focado justamente nesse comprometimento com a origem dos produtos do café e também numa inspiração escandinava, presente na decoração e na apresentação dos pratos. Para transformar a teoria em prática, o estúdio independente Passport (Leeds, Reino Unido) foi o responsável pela criação da identidade, papelaria e auxílio nas embalagens.

Basicamente, a ideia de que “tudo tem uma história por trás” foi o ponto de partida e permeou toda a criação. A base dos impressos, por exemplo, foi definida depois de uma pesquisa sobre papeis produzidos de formas não convencionais. Os escolhidos são feitos de subprodutos (restos) de cítricos, uvas, couro e da massa de grãos que sobra na produção de cerveja. A consequência natural do uso desses materiais é uma paleta de cores de tons frios e pastel. Muito interessante esse caminho que eles escolheram seguir, né?

Os cardápios tem tamanhos diferentes para cafés, comidas e sucos, e são presos em placas de madeira com um elástico, o que facilita a atualização.

Mini panfletos que contam como funcionam os processos no café.

O logo, simples e contemporâneo, utiliza os pontos para representar as pessoas por trás de tudo: os funcionários, clientes e fornecedores que criam as histórias. Ligando esses pontos é possível contar ainda mais histórias, sobre a viagem dos ingredientes da fonte original para o café, por exemplo.

As garrafinhas dos sucos são impressas somente com tinta branca e possuem apenas dois elementos: o logotipo e a lista de ingredientes, para deixar claro aos clientes que nenhuma substância extra e duvidosa foi adicionada.

Acho lindo quando uma marca tem uma construção simples, mas vai direto ao ponto e comunica seus significados. Bra-vo!

Stories Cafe
Roundhay Road, 454, LS8 2HU · Leeds · Reino Unido
Site · Instagram

Passport
Site · Behance · Instagram · Facebook

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Obsessão é um sentimento muitas vezes ligado ao lado mais negativo do comportamento de alguém, mas na fotografia esse estado de preocupação permanente sobre alguma coisa pode se transformar em uma intervenção positiva no trabalho de um fotógrafo. A obra icônica de Roger Mayne deixou evidente os traços da obsessão que tinha e a sua abordagem humanista foi influência para as gerações de fotógrafos que vieram depois dele.

Mayne, falecido em 2014, foi um fotógrafo inglês que ficou muito conhecido pelo seu trabalho que documenta o cotidiano de uma comunidade humilde de um bairro de Londres, particularmente a Southam Street. Entre 1950 e 1960, ainda jovem, ele fotografou repetidamente a mesma rua registrando 1400 fotos em 27 visitas.

A gente se pergunta: o que leva um jovem artista a tanta fixação por um lugar? Dá pra supor que ele tenha se atraído pela diferença social, já que nasceu em uma parte de Cambridge com gente muito diferente da classe operária da Southam Street; ou então a urgência em eternizar o lugar, motivado por algum tipo de pressentimento de que o bairro poderia sumir do mapa por conta da condição precária da região.

A verdade foi que em 1969 a área foi praticamente toda demolida para dar lugar a Trellick Tower, e daí sai mais uma hipótese: quem sabe Roger não teria sido motivado por valores mais altos e pretendesse fazer um statement político parecido com o trabalho do seu mentor Paul Strand? Acho que nunca vamos saber, mas qualquer que fosse o motivo que movia sua obsessão por aquele lugar, ele está eternizado em belos registros monocromáticos.

A galeria The Photographers’s Gallery em Londres está expondo desde março (e fica até junho) o trabalho de Roger Mayne, algo que não acontecia desde 1999, o que deve estar sendo muito bacana pra quem já conhecia o fotógrafo e sentia falta de um destaque maior, o que é muito merecido. Dizem que alguns dias são suficientes para ficar conhecendo o melhor de Londres, por isso ver com calma as fotos do fotógrafo seria com certeza um programa recompensador. A exposição abrange toda a obra de Roger, indo é claro, além das composições da Southam Street, incluindo por exemplo, seus primeiros trabalhos feitos na cidade de Leeds, onde desenvolveu o seu interesse por fotografia e adquiriu um estilo bem mais realista.

São várias séries de fotos de diferentes épocas que pedem para serem vistas, então se alguém aí estiver de bobeira por Londres (me chama!), ainda que seja só por dois ou três dias, vale super a pena incluir essa exposição no roteiro.

Ah, e se essa vibe de fotografia documental chama sua atenção, esse post sobre a fotógrafa Vivian Maier vem a calhar. ;)

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+