Polaroids Taylor Swift 1989

Falar de música nunca foi meu foco aqui no blog, mas eu gosto sim de apontar outros detalhes que vêm com as produções musicais dos artistas, detalhes esses que têm mais a ver com esse meu cantinho, relacionados principalmente à fotografia, design, e até mesmo à produção audiovisual dos clipes.

Daí que Taylor Swift lançou no último dia 27 de outubro o seu quinto álbum, 1989, com toda uma estética retrô, analógica e com apelo nostálgico, resultado da utilização de polaroids no encarte e em todo o material promocional. Taylor já tinha um pulo nesse quê de antiguinho desde o Red, mas dessa vez ela mergulhou de cabeça, mais uma vez trabalhando com a fotógrafa Sarah Barlow, que tem um olhar muito bom quando é essa a proposta.

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

O curioso é que os filmes (aparentemente bem variados, usando câmeras da série SX-70 e 600) foram provavelmente comprados do Impossible Project, já que a Polaroid mesmo descontinuou sua produção em 2008. As fotos também precisaram ser cortadas para o formato 1×1 (quadrado), afinal os papéis originais variam de tamanho mas se mantém numa escala aproximada de 3×4.

A própria cantora afirmou que é apaixonada pelas Polaroids e pelo registro de momento que fotografia instantânea (tem post sobre!) em geral proporciona, e que isso comunica muito com sua música, que também traduz sua rotina, as coisas que vão acontecendo no decorrer do tempo, os relacionamentos, etc. Bacana, né?

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Polaroids Taylor Swift 1989

Para ver todas as polaroids (são muitas mesmo!) é só vir aqui.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Quando eu postei essa receita de frappuccino aqui no blog, contei que só há pouco tempo comecei a gostar mais de café. Acho que o problema é que antes eu só conhecia o preto expresso ou passado na hora, não sabia a fundo sobre as mil variações e misturas que podem ser feitas. O legal é que esse novo paladar se juntou à minha fascinação pelos ambientes propriamente ditos dos cafés gringos (aqui tem até um post de inspiração) e nessa ~onda~ hoje o post é dedicado a identidades visuais tanto do grão quanto dos estabelecimentos. Fiz uma seleção com 8 projetos retirados lá do Behance, todos entre os meus favoritos. Já peço desculpas por não colocar todas as imagens dos projetos, é pra não ficar gigantesco. Mas é só clicar no link de cada um e ir lá ver tudo na íntegra! Ó só:

Fernwood Coffee

O que mais me conquistou nesse projeto de identidade visual foram as cores que têm uma pegada náutica, mantendo-se sempre no branco, vermelho e azul marinho. A razão para o estúdio Glasfurd & Walker ter tomado essa direção provavelmente se deu porque a base desse café fica em Victoria, no Canadá, uma cidade portuária de navios-cruzeiro. A solução não só trouxe identificação com a cidade e o comércio local como combinou muito bem com a proposta intimista e até um pouco retrô que cafés geralmente têm.

Fernwood Coffee

J. Hornig

A J. Hornig é uma marca tanto de café em grão como também tem seus espaços espalhados pela Áustria. Esse projeto desenvolvido pela Moodley envolveu toda a identidade visual, que se estende até mesmo aos triciclos ambulantes que levam café até as pessoas! As principais cores escolhidas são o marrom, vermelho e branco, combinação que me apaixona só de olhar! Outras cores de apoio são o azul e o verde musgo. Vale a pena ver todas as imagens do projeto, porque são muito lindas e bem clicadas. ;)

J. Hornig

Miscela di Caffè in Grani

Esse segue uma tendência mais moderninha e minimalista que tenho visto bastante no Behance. Reúne a presença de uma fonte bem redondinha em caixa alta, cores claras e até fluorecentes, e ilustrações que aparecem geralmente em forma de padronagem. Lindo!

Miscela di Caffè in Grani

JOCO

A JOCO não produz nem é um café, e sim uma empresa que fabrica copos próprios para a bebida. A ideia aqui é proteger o meio ambiente de hábitos ruins como o do copo descartável (de plástico ou isopor) e continuar bebendo o café diário com estilo, num produto feito com materiais pensados sustentavelmente. Bacana, né?

JOCO

General Cafe

O General Cafe fica em Gettysburg, na Pensilvânia, e também tem a preocupação de ter produtos pensados de forma ecológica. A identidade visual é simples, mas cumpre seu papel de forma muito dinâmica. Destaque para os vários ícones criados para a marca e essa colherzinha de mexer o café que é até bastante comum lá fora, mas que deveria aparecer com mais frequência nos estabelecimentos brasileiros. Uma oportunidade de aplicação muito bonitinha para marcar a presença de um logotipo!

General Cafe

The Reformatory Caffeine Lab

Essa não é uma coffee shop como as outras. Simon Jaramillo é um cara que cresceu numa família que cultiva café há 110 anos e por isso virou um alucinado pela arte de colher, secar, moer e usar o grão nas bebidas. O The Reformatory Caffeine Lab tem a proposta de trazer uma experiência totalmente nova para os visitantes, algo muito ligado a todo esse processo de produção, à “química” do café. O mais legal é que o lugar tem também uma ligação com os quadrinhos, com inúmeras ilustrações nas paredes, várias delas em homenagem ao Coringa, personagem da DC Comics.

The Reformatory Caffeine Lab

Joe’s Coffee

Nos Estados Unidos é muito comum a expressão “a cup of joe” quando alguém pede por uma xícara de café, e essa foi a frase que inspirou a criação do Joe’s Coffee. A identidade visual do lugar é baseada na silhueta do rosto de um homem, mais precisamente o próprio Joe que deu origem à expressão. É uma história meio longa que não vale a pena ser contada aqui, mas digamos que esse Joe viveu há muito tempo e era bem importante, hahaha. Toda a papelaria do café também tem um ar bem retrô, que condiz com o tempo da história que deu origem à tudo isso. :)

Joe's Coffee

Dorigenn

E pra finalizar, taí um projeto que achei bem brasileiro, e não tive essa impressão necessariamente por causa das cores, mas sim pelas ilustrações bem tropicais. Só depois fui descobrir que a marca é colombiana, daqui do lado! Toda essa estética está aí para representar diferentes regiões nos arredores da Colômbia (inclusive Amazônia) e o que elas podem trazer de sabores e aromas para o café. Muito legal, né?

Dorigenn

É isso, espero que tenham gostado desse post mais focado em design. Prometo trazer mais conteúdo bacana pra essa categoria! Comenta aqui embaixo o que achou! ;)

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Passa a metade do ano e a gente já vai ficando ansioso pra que novembro chegue logo com a Black Friday. Esse dia maravilhoso pra estourar o limite do cartão (no bom sentido) começou originalmente nos Estados Unidos, acontecendo sempre um dia após o feriado de Thanksgiving. Aqui no Brasil a Black Friday foi adotada há alguns anos pelas lojas e todo ano é essa expectativa. Já tem até tarefa criada no meu Todoist (com lembrete e tudo) pra dar meia-noite do dia 28/11 e eu correr pro computador, hahaha.

Em 2013 eu arrematei alguns itens menores como livros e blu-rays, e aproveitei pra cortar alguns itens da minha lista de presentes de fim de ano. O problema é que é aquela coisa: quem chega primeiro, leva. A internet fica uma loucura e eu me sinto numa loja lotada de verdade, cheia de gente brigando comigo pra pegar aquele último produto!

Wishlist Cupons Mágicos

Foi pensando nessa experiência maluca que o Cupons Mágicos criou esse ano uma plataforma de lista de desejos especialmente para a Black Friday 2014, onde você se cadastra (gratuitamente) e começa a adicionar as categorias ou produtos que você tanto quer, fora que sempre que você dar de cara com algum desejo novo, é só entrar lá e adicionar, ou mesmo remover alguma coisa se for o caso.

Sua wishlist fica guardadinha com a equipe do site e de acordo com o que você escolheu, eles vão entrando em contato com as mais de 300 lojas parceiras e elas vão oferecendo links especiais de desconto no valor da sua compra, ou seja, fica mais barato do que já vai estar por aí! Quando dia 28 chegar, você recebe um e-mail personalizado com os melhores preços daquilo que cadastrou, sem spam de outras milhões de coisas que nem são do seu interesse.

Bacana, né? Eu mesmo já estou cadastrando algumas coisas na minha wishlist, já que sou super desatento e definitivamente não trabalho sobre pressão nessa correria de compras, hahaha. Dá uma olhada em alguns dos itens:

Wishlist Black Friday

Minha wishlist

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Peanut butter banana sandwich Melhor Ângulo

Há algumas semanas, bem naquela época da febre da Paçoquita Cremosa nas timelines do Brasil inteiro, eu encontrei uma bem tímida, escondidinha no mercado aqui perto de casa e resolvi testar em alguma receita simples, depois de me gabar com a galera toda que procurava nos maiores mercados da cidade e não achavam, é claro. Se vocês querem minha opinião, meus amigos, eu dou: o negócio é mesmo uma delícia, e nada define melhor a novidade do que o óbvio “é uma versão cremosa da Paçoquita”, porque é isso aí gente, é o mesmo gosto, só que de passar no pão! Hahaha. O problema é que ô bicho caro! Nem lembro mais, mas se eu não me engano um potinho humilde de 180g saiu a quase 10 dilmas! Nessas horas a Nutella ali na prateleira ao lado parece valer mais o custo-benefício, né? Mas enfim.

Peanut butter banana sandwich Melhor Ângulo

Já havia um tempo que eu namorava fotos no Pinterest de cafés da manhã com esses sanduíches que eles fazem muito lá pela gringa. O nome é peanut butter banana sandwich e nada mais é do que (olha eu dando uma de Google Tradutor) um sanduíche de banana com manteiga de amendoim. Prêmio de mais previsível pro Zé, por favor. Não tem mistério nenhum pra fazer, na verdade esse post é meio que uma desculpa pra essas fotos, mas vamo lá:

Ingredientes

Peanut butter banana sandwich Melhor Ângulo

  • Pão de forma de sua preferência
  • Bananas picadas em rodelas
  • Manteiga de amendoim ou Paçoquita Cremosa
  • Manteiga ou margarina para o pão e para untar a frigideira
  • Pedaços de chocolate ao leite (opcional)

Modo de preparo

1. Passe a manteiga de amendoim ou a Paçoquita Cremosa com generosidade dos dois lados do sanduíche.

2. Corte as bananas em rodelas e faça uma camada em um dos pães, preenchendo todo o espaço. Não acomode as bananas umas sobre as outras para não desmoronar quando for ao fogo.

3. Se for o seu caso, essa é a hora de colocar alguns pedaços de chocolate ao leite por cima das bananas, antes de fechar o pão.

Peanut butter banana sandwich Melhor Ângulo

4. Feche o sanduíche, passe manteiga ou margarina dos dois lados e leve a uma frigideira (de preferência antiaderente) untada, em fogo baixo. Com a ajuda de uma espátula, pressione o pão, de forma que ele entre bastante em contato com a frigideira, e vire de vez em quando para dourar dos dois lados. Muito cuidado ao virar, porque é essa a hora que a vida escolhe pra derrubar todas as bananas e acabar com sua receita. ;)

Peanut butter banana sandwich Melhor Ângulo

5. E é isso! Essa é uma boa opção pra quando você precisa de um café da manhã com bastante “sustança”, bem gordinho, pra começar o dia com o pé direito! Fiquem com mais algumas fotos, da versão sem chocolate, e com. Se fizer depois me conta lá nos comentários!

Continue Lendo

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+