Melhor Ângulo - Fotografia, decoração, design e tudo o que me inspira!

Hoje acontece o Dia dos Namorados americano, mais conhecido como Valentine’s Day (ou Dia de São Valentim, quem lembra desse episódio do Chaves?). A dica do Melhor Ângulo é: não se iluda com os comerciais cheios de estrelinhas e atores com corações no lugar das pupilas de tanto amor, pra isso trouxe algumas fotos de casais de verdade fotografados pelos meus queridos fotógrafos do Flickr.

Mas não exagere no americanismo! Nada de comemoração estrondosa hoje, apenas cite a data pra sua pessoinha e fique nos beijinhos. E grite aleluia por ter alguém porque vou te dizer, tá difícil, viu?

Pra se inspirar mais, vale dar uma olhada nesse post que segue a mesma linha e nesse link do meu WeHeartIt.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Adele Vogue US

Deixando um pouco de lado o fato de Adele ter aparecido linda, cantado impecavelmente depois da cirurgia na garganta e ainda dominado o Grammy na noite de ontem (13) com 6 prêmios, ela é capa da edição de março da Vogue US.

A única coisa que eu leio sobre o ensaio é: “E essa cintura?” “Desde quando a Adele é magra assim?” “Photoshop escancarado!” Vem cá, e isso lá importa tanto assim? Todo mundo já viu que ela emagreceu e se eu conheço pelo menos um pouco de Anna Wintour, ela não liga nem um pouquinho de mandar diminuir a cintura das garotas da capa não importa quanto barulho isso faça.

Apesar de mostrar bastante corpo (coisa que Adele nunca tinha feito), dá pra notar o foco na beleza: maquiagem clássica e penteado muito bem feito. O que interessa é: ela é linda, ela está linda e as fotos feitas pela dupla Mert & Marcus (lembra do editorial com a Kristen Stewart?) ficaram impecáveis, quem concorda comigo?

Adele Vogue US

Adele Vogue US

Adele Vogue US

Adele Vogue US

Adele Vogue US

Adele Vogue US

Adele Vogue US

Adele Vogue US

Adele Vogue US

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Dando um pausa nos posts sobre como economizar na decoração, hoje vamos falar um pouco sobre organização. No fundo, no fundo, todos gostamos daquela baguncinha saudável no quarto, aquela que dá um “quê” pessoal em um lugar que julgamos só nosso. Mas venhamos e convenhamos, rola sempre um alívio quando nossa mãe passa e deixa tudo arrumado e limpo, vai dizer que é mentira? Principalmente quando temos que achar algum objeto perdido o mais rápido possível na correria do dia-a-dia.

Por isso, vamos resgatar lá do baú aquela mensagem que passei para vocês no primeiro post: “Primeiramente é de extrema importância que você saiba que se não quer tirar muito dinheiro do bolso, terá que por a mão na massa. Isso inclui colar, lixar, pintar, cortar, costurar, mexer com fiações (para fazer tomadas, por exemplo) e talvez até pregar.”

E, abre aspas para mais uma citação: “Humildade também é importante! Encontramos muita coisa nas ruas que podem ser reaproveitadas. Então se você ver algo por aí, jogado do lado de um poste e achar que possa lhe ser útil, não tenha medo nem vergonha! Além de estar economizando, você estará fazendo um favor para a natureza.”

Mas, antes de tudo, vamos falar um pouco sobre caixas organizadoras. Com certeza vocês já as viram em muitos lugares, mas nunca chegaram a perceber a extrema importância deste objeto. A vantagem de ter uma várias dessas é que por estarem disponíveis em diversos tamanhos e cores, pode-se incluí-las em vários ambientes. Além disso, elas são totalmente versáteis e você pode colocar dentro delas todos os objetos possíveis, os mesmos que antes davam um peso visual no seu quarto. Com uma composição legal, até uma estante velha e bagunçada, fica bonita.

Vocês podem encontrá-las em lojas de utilidades e/ou lojas de embalagens para presentes grandes. Em lojas de decoração também, mas geralmente são mais caras, de qualquer forma é sempre bom estar indo para dar uma olhada nas promoções.

Enfim, agora que já conhecemos a magia dessas caixas vamos falar de reciclagem. Sabe aquelas caixas de madeira que armazenam frutas e legumes na feira aí perto da sua casa? Então! Vocês já pararam para pensar o quanto esses caixotes podem ser úteis? Há pouco tempo atrás me deparei com alguns amigos que pegavam essas caixas e faziam de sapateira, resolvi pesquisar um pouco e voilá! A grande diversidade de re-utilização destes materiais é genial. Além de ser totalmente sustentável, é de baixíssimo custo para o nosso bolso, já que podemos – as vezes – pegar de graça na feira, o normal é comprar dos comerciantes.

O interessante desses caixotes é que quando empilhados podemos utilizá-los como estantes, criados-mudos, prateleiras, sapateiras e até, quem sabe, mini-hortas. Por isso não se acanhem, corram para a feira! Peçam, insistam e, como última opção, paguem. Peguem no mínimo três desses e ponham a mão na massa. Usem uma lixa bem grossa (de grana 60 está de bom tamanho) na madeira para tirar as imperfeições e caso não queiram pintar, apliquem um pouco de cola misturada com água, para impermeabilizar a madeira, deixando-a assim, mais resistente à umidade.

Eu gostei tanto da ideia que no final peguei foram 5 caixotes para utilizar aqui em casa e os enchi de livros, já que estava sem lugar para colocá-los. Mas a maneira de utilização desses caixotes é variável e totalmente pessoal.

Por fim, procurando aqui pela internet, achei um vídeo da revista Casa & Jardim, mostrando o trabalho de 3 designers e a solução que eles chegaram na utilização do caixote. É claro, sem gastar muito. Vale a pena dar uma conferida:

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Rodrigo Bueno

Pé na estrada, novos espaços, possibilidades e muita vontade de vencer naquilo que gosta. De chapeiro no Texas, vocalista de uma banda de rock a Designer Gráfico, muita coisa rolou, mas correr atrás daquilo que acredita sempre foi o lema desse cara de 29 anos, dos quais cinco foram de ascenção na carreira de fotógrafo. Esse é Rodrigo Bueno, dono das lentes que fotografam marcas e rostos expoentes no mundo da moda.

Campanhas e editorias de grifes como Maria Filó, Foxton, Patachou, Cholet, Coca Cola Clothing, Coven, Velvet Goldmine circulam por badaladas revistas do circuíto fashion com a assinatura de Bueno. Capricho, Vogue, Fashion Rio, SPFW e NY Fashion Week foram alguns insights de uma sequência de acertos.

Vocês devem saber, o trabalho de fotógrafo profissional encontra muitas barreiras por aqui. E quando aliado ao mundo da moda a exigência é ainda maior, pois, além da técnica, tudo deve estar sintonizado: a vibe, a performance e muito jogo de cintura para driblar os imprevistos.

Com um pé em Nova York, eu, Pilar tive a oportunidade de entrevistar o rapaz com exclusividade para o Melhor Ângulo, bora ver o resultado e conhecer um pouco desse talento nacional que conquista, passo a passo, a moda internacional?

1) Como a fotografia deixou de ser um hobbie e se tornou profissão?

Comecei a fotografar com 14 anos. No segundo período da faculdade eu aprendi a revelar, ampliar, algumas coisas básicas de iluminação em estúdio. Daí comecei a me interessar mais até que me chamaram para o primeiro trabalho como fotógrafo.

2) Como foi o início de sua carreira como fotógrafo? E qual foi seu primeiro
trabalho?

Foi muito difícil porque não fui assistente de ninguém, eu comecei fotografando bandas de amigos meus. Fazia fotos dos shows e fotos promocionais das bandas. Meu primeiro trabalho foi para a revista Capricho, fiz um retrato de um dos atores da Malhação!

2) Por que escolheu fotografar moda?

Depois de um tempo fotografando shows eu passei a achar chato, sempre via as revistas de moda nas bancas e tinha vontade de que uma daquelas fotos fosse minha. Daí comecei a entrar em contacto com estilistas, stylists, maquiadores, agências e comecei meu portfólio.

3) Acompanhamos seus trabalhos para marcas e eventos super conceituados. Você ouviu muito ”não” até chegar onde está hoje?

Sim, já ouvi muito não e continuo ouvindo, a cada não que eu recebo eu penso que preciso melhorar e isso tem feito meu trabalho evoluir muito.

3) Quais os principais requisitos para um fotógrafo de moda?

Você precisa entender do assunto que está fotografando. Na moda a foto acaba sendo muito mais do que só a roupa.
Mas ao mesmo tempo tudo influência: cabelo, maquiagem, locação, produção… Nenhuma pessoa da equipe pode errar.
É preciso entender a roupa, dirigir a modelo, saber a melhor luz para cada trabalho…

4) Prefere fotografar em estúdio ou externa?

Depende do trabalho. Eu amo fotografar com luz natural, talvez por isso prefira externa. Mas estúdio tem todo seu conforto.

5) Como encarar imprevistos como: falhas na produção, mau humor dos modelos e outras coisas que tirariam você do sério? Já houve alguma situação em que tudo parecia perdido e acabou dando certo?

Tem que ter muita paciência, prefiro trabalhar com pessoas que já conheço e que possuem os gostos parecidos com os meus. Aconteceu em um dos últimos trabalhos. Eu tinha programado onde seria cada foto, o editorial ia ser de dia (todo com luz natural) mas acabou sendo na rua, à noite (eu nunca tinha feito foto externa a noite) e ficou lindo.

6) Como é o dia-a-dia de um fotógrafo da moda?

É ótimo por não ter rotina nenhuma, poder viajar bastante, conhecer gente nova a cada trabalho… Ao mesmo tempo não ter uma rotina às vezes atrapalha, mas tudo bem. Eu amo não ter a rotina, mesmo com toda correria de um lado pro outro e datas de trabalhos que mudam o tempo inteiro.

7) Nos últimos meses morou em Nova York, me conte da sua experiencia lá.

Foi ótimo, fotografei a semana de moda de lá. Fazia as fotos de teste das modelos da Marilyn, que é uma das melhores agências de lá, e aproveitei para estudar mais iluminação.

8) Ocorrem diferenças entre o reconhecimento profissional do fotógrafo no Brasil e no exterior? Qual a maior dificuldade?

No exterior eles reconhecem que cada fotógrafo tem seu estilo e contratam você pelo seu estilo. Aqui normalmente contratam você e falam como querem as fotos (nem sempre o fotógrafo fica livre). A maior dificuldade é começar… conseguir montar um portfólio bom o bastante para confiarem em você.

9) Qual seria a dica de incentivo para quem está começando?

Comece fazendo assistência para algum fotógrafo que tenha um estilo que você goste. Com certeza em um dia de assistência você vai aprender mais do que em qualquer curso. E batalhar muito para chegar onde quer, não ter preguiça em nenhum momento, porque não é fácil!

E aí, gostaram do trabalho do Rodrigo? Pilar, nossa colaboradora de moda feminina fazendo a representante internacional, chique é pouco minha gente! Valeu pela entrevista, Rodrigo, seu trabalho é incrível e vai inspirar muita gente que quer seguir os mesmos passos!

SiteTumblrEmail: bueno@rodrigobueno.com.br
Telefone em NY: 1 347 634 1712 – Telefone no Rio: (21) 7838-7167

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+