Melhor Ângulo - Fotografia, decoração, design e tudo o que me inspira!

Achei que 2016 seria só mais um ano, com as esperanças e os planos de sempre, nada demais. Mal sabia eu que a vida prepararia grandes arapucas não só pra mim, mas pra tanta gente por aí, um aninho que passou rápido como quem parecia ser inofensivo, mas não poupou problemas. Tá, é claro que não dá pra achar que depois de meia-noite tudo se resolveu. Ainda vai ter muito problema pra gente resolver sim, mas seguimos desejando coisas boas, torcendo por um ano melhor, e o mais importante: tentando enfiar na cabeça que nada muda se a gente fica parado só observando os dias passando e não fazendo nada.

Minhas “metas” continuam praticamente as mesmas, algumas delas já avançadas e alavancadas, e aproveitando que todo mundo anda dizendo que 2017 está marcado pra ser o início de um novo ciclo cheio de mudanças, por que não aproveitar? Mais do que qualquer coisa, 2016 me ensinou, muitas coisas, em todos as áreas da vida. Um dos destaques foi que aprendi o tal do foco, coisa que não sabia o que era há muito tempo, e agora é hora de aplicar todas essas lições num ano cheio de ação e de conquistas bacanas. Vamos tentar juntos?

Pode entrar, 2017, cê não sabe o quanto a gente te esperou.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

O fotógrafo turco Can Dagarslani pergunta: por que envelhecer precisa necessariamente ser sinônimo de alcançar serenidade e calmaria? Em um mundo moderno onde serenidade é coisa rara pra qualquer um, os mais velhos não fogem à regra.

Se movimentando, interagindo entre si, usando roupas esportivas e meias listradas até em cima, os movimentos do casal de modelos nesse ensaio são simbólicos, mas cheios de significado. As fotos foram feitas ainda tendo a arquitetura minimalista da Bauhaus da cidade de Dessau na Alemanha como plano de fundo, e é claro que as cores icônicas da escola estão presentes: o vermelho vibrante, o azul e o amarelo. Visualmente lindo!

Enquanto a vida despreocupada que Can retrata pode ser mais teoria do que prática, a leveza das fotos consegue passar a mensagem. Outros trabalhos do fotógrafo também relacionam questionamentos com estética, vale a pena ver com calma:

Can Dagarslani · Site · Instagram · Behance · Flickr

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Dando continuidade à série de posts sobre cafés, dessa vez ele é fictício. É que a equipe do estúdio de design Saturday Studio criou como forma de exercício a marca Talihina, especializada em cold brew coffee, um tipo de preparação hype do momento onde o café é passado com água fria, por mais tempo, e assim adquire um sabor diferente, mais suave e adocicado até. A intenção do projeto foi praticar um pouco de naming, branding, impressão e design de embalagens, tudo isso livre do briefing limitador que muitos clientes trazem.

A identidade foi inspirada na filosofia de quem produz em baixa escala, no cuidado que os produtos não industrializados recebem em toda a simplicidade que um pequeno lote de café receberia. As impressões no vidro foram feitas uma a uma e o resultado é que nenhuma garrafa ficou exatamente igual às outras.

E assim as garrafas ganharam o logotipo da Talihina!

Tirar um tempo para trabalhar em projetos pessoais e paralelos assim é sempre uma ideia válida, afinal sair do automático e criar algo por prazer acelera o metabolismo de qualquer designer que está acostumado com a rotina de agência, certo? Desse projeto simples e lindo, essa foi a liçãozinha do dia. ;)

Saturday Studio · Site · Instagram · Pinterest · Dribbble

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Matt Genefaas e Daniel Craig são dois apaixonados por design gráfico e de produto, e juntos criam objetos de uso pessoal, decoração e papelaria na loja Made of Tomorrow. São peças bem modernas com inspiração escandinava que, segundo eles, tentam capturar tendências que ainda nem aconteceram, daí o nome “Feito do Amanhã”.

Mas o que mais me chamou a atenção nas fotos de divulgação foi a cara do lugar, que faz parte de um estúdio onde os dois desempenham outras funções além da loja. O espaço é basicamente uma grande amostra de como eles enxergam seus produtos sendo utilizados no dia-a-dia das pessoas, ainda rodeados de bastante verde, o que cria um contraste interessante com todo o resto da decoração minimalista e moderninha.

Quero os produtos, quero trabalhar na loja, quero tudo.

made-of-tomorrow-10

made-of-tomorrow-5

made-of-tomorrow-6

made-of-tomorrow-2

made-of-tomorrow-8

made-of-tomorrow-3

made-of-tomorrow-9

made-of-tomorrow-4

made-of-tomorrow-1

Made of Tomorrow
Rua St Jude, 9 · Avondale · Auckland · Nova Zelândia
Site · Instagram

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+