29 • abril • 2014

Pra quem não sabe, além de registrar e avaliar no Filmow os filmes que eu assisto, eu também anoto tudo no Listography, organizando por mês, quais eu já tinha assistido e os que eu assisti no cinema. Um dia desses, resolvi comparar a lista desse ano com a do ano passado, e me surpreendi ao perceber que só nesses quatro primeiros meses de 2014 eu já assisti mais filmes no cinema que no ano de 2013 inteiro! E acho que há grandes chances desse padrão continuar, visto as estreias que estão por vir.

Hoje vou falar um pouquinho de cada um desses filmes. Não espere grandes resenhas, são só pequenas impressões, detalhes que eu gostaria de destacar, coisas que aconteceram no dia em que eu vi. :)

Elsa em Frozen

Resenha Melhor Ângulo de Frozen

Eu não estava dando nada por Frozen. Tinha visto poucos trailers e achava tudo muito mais ou menos, sabe? Talvez essa impressão tenha sido influenciada por um certo preconceito que eu tenho com filmes de princesa nesse formato de animação 3D. Querendo ou não, cresci numa época em que os filmes da Disney eram automaticamente relacionados aos desenhos em 2D, e essas “tecnologias de hoje” acabam me incomodando um pouco. #nostalgia Mas deixando isso de lado, assisti Frozen em janeiro com a Gabi e saí da sala apaixonado, hahaha. Sério, um dos melhores filmes do ano, assim, de cara! E uma das coisas que eu mais gostei foi que apesar dos pontos de romance aqui e ali, o foco da história é no amor fraternal de Anna e Elsa, sem príncipe aparecendo do nada para salvar a princesa. E destaque para a “performance” da música Let It Go, porque gente, eu quero morar naquele castelo!

The Book Thief

Resenha Melhor Ângulo de The Book Thief

Lembro como se fosse ontem de estar no 1º ano e ver várias pessoas no CEFET lendo “A Menina Que Roubava Livros”, naquela clássica capa toda branca com o guarda-chuva vermelho. Apesar de nunca ter lido, a história sempre esteve à minha volta, então fiquei muito curioso quando fiquei sabendo da adaptação. Li que as críticas não foram das melhores, mas gostei muito do filme em geral, principalmente das atuações da pequena Sophie Nélisse, de Geoffrey Rush e de Emily Watson, esses dois últimos já nomeados ao Oscar por outros trabalhos. Vale lembrar também da fotografia, que no início faz uma clara referência à capa do livro, com cenas muito brancas, por conta da neve, e depois aos poucos escurece e ganha um aspecto mais dramático quando o filme começa a focar no tema nazista.

Ninfomaníaca

Resenha Melhor Ângulo de Ninfomaníaca

Assistir Ninfomaníaca não era nem uma possibilidade, principalmente depois de ter avaliado “Anticristo” — também de Lar von Trier — como “definitivamente não é o tipo de filme que eu gosto”. Mas como estávamos em grupo e decidimos levar tudo com bom humor, resolvi dar mais uma chance ao diretor dinamarquês e à nova produção. Achei que o saldo da sessão seria uma boa dose de cenas zoadas por serem doentias ou bizarras demais, mas levei o filme mais a sério do que pensava. E apesar de toda a promoção unicamente voltada ao lado “sexual” da história, não achei tão pesado nesse sentido. Mais drama, menos sexo. Dizem que o Volume II é mais explícito, mas esse não chegou aos cinemas daqui, então…

Uma Aventura Lego

Resenha Melhor Ângulo de Uma Aventura Lego

Outro que não tinha me chamado muito a atenção, mas que paguei a língua. Assisti “Uma Aventura Lego” em Niterói, num rolezinho no shopping com o Filipe, e me surpreendi com a qualidade do filme! As referências à cultura pop me lembraram Detona Ralph (num bom sentido), a animação pensada no mundo feito de LEGO é muito bem representada (adorei cada solução!) e achei o roteiro interessante, me prendeu do início ao fim. A musiquinha então nem se fala: “Tudo é incríveeeeeel!” Grudou pra sempre na minha cabeça, haha.

E aí pessoas, quem aí já viu algum desses filmes no cinema? A segunda parte do post entra no ar ainda essa semana. :)

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



27 • abril • 2014

Era fim de janeiro quando eu fechei o blog, mas não o suficiente pra eu colocar no ar a primeira seleção de fotos dos leitores de 2014. Daí pra frente as fotos foram acumulando e eu desanimando, mas tirei um tempo — um dia inteiro, mais precisamente —  para rever tudo o que passou pelo grupo no Flickr nesses quatro meses e fazer esse post. Foram quase 300 fotos pré-selecionadas, e dessas, separei 40: 10 representando cada mês. Vamos ver quais de vocês apareceram por aqui? :)

Janeiro

Veja o restante das imagens

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



24 • abril • 2014

Nina e Gramps estão casados há 61 anos e nunca tiveram fotos juntos, a não ser uma única do próprio casamento. Foi aí que a fotógrafa Lauren Wells — esposa de um dos netos do casal — decidiu que o melhor presente para a comemoração seria uma sessão de fotos especial, que representasse todos esses anos de cumplicidade, amor e amizade que eles compartilharam, sem nunca terem tirado as alianças.

A inspiração foi o filme Up – Altas Aventuras, da Pixar, que se já é emocionante em animação, imagina agora retratado numa situação real! Lauren conta que Gramps no fim das contas sempre usou gravata borboleta, então não tinha uma referência melhor, certo? Vem morrer de amores com as fotos:

Up Anniversary by Lauren Wells

Up Anniversary by Lauren Wells

Up Anniversary by Lauren Wells

Up Anniversary by Lauren Wells

Up Anniversary by Lauren Wells

Up Anniversary by Lauren Wells

Up Anniversary by Lauren Wells

Up Anniversary by Lauren Wells

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



17 • abril • 2014

Fazer sem prometer

Anteontem eu dormi duas horas durante a noite, tudo porque milhões de ideias e planos passavam pela minha cabeça quando eu deveria estar dormindo. Não se enganem, eram todas coisas boas, inclusive tive meu primeiro insight sobre meu futuro TCC. Mas enquanto já não aguentava mais meu cérebro trabalhando e implorava por uma folga, percebi que 95% do que eu tinha pensado ali eu já tinha pensado outras vezes, já tinha anotado, detalhado, criado um plano de ação até. O próprio ato de cair na real já tinha acontecido antes, e é basicamente o mesmo processo: eu tenho uma ideia, me aprofundo nela, anoto, talvez até crio um planejamento de como conseguir colocar aquilo em prática, mas nunca faço muita coisa sobre. Fica ali, no caderno fechado, até o dia em que eu lembrar daquilo, pensar novamente sobre e me tocar de que eu sempre repito esse mesmo ciclo. O post de hoje é pra compartilhar um pouco dessa frustração que me bateu forte aqui agora, em plena madrugada. Mas é só um pouco dela.

Decidi investir em um objetivo de cada vez, e dividi-lo em outras pequenas fases que vão me ajudar a chegar até o fim do projeto em si. Já perceberam o quanto é desanimador fazer uma tarefa (mesmo simples) quando se pensa nela como um todo? É isso que eu quero evitar, mas se vou conseguir ou não será algo para os bastidores, porque decidi também fazer tudo em segredo, não sair por aí prometendo pros outros coisas o que não diz respeito a eles, e sim a mim. Anunciar pros amigos que vou começar uma dieta, por exemplo. Isso só cria uma pressão desnecessária pra que você prove lá na frente que estava certo e que conseguiu. Pra quê? A falha não é um problema tão grande se só você tem conhecimento dela, porque só você entende exatamente porque ela aconteceu, certo? Nada melhor do que deixar que os outros se surpreendam sem você ter prometido nada. Fazer sem prometer.

Mas não se enganem, o foco aqui é satisfazer a si mesmo; no caso, a mim mesmo. Não é sobre ligar pro que os outros vão pensar, mas sobre evitar pressões desnecessárias que só vão acabar me desmotivando nos meus objetivos. Desafiar a mim mesmo, em vez de ser desafiado por todos à minha volta.

Quem acompanha o Melhor Ângulo e consequentemente um pedacinho da minha vida, aí vai o exercício: reparem. Reparem os posts no futuro e vejam as pequenas evoluções que eu fizer. Se eu comprar uma câmera nova, por exemplo, apenas pensem: “Será que ele está melhorando o equipamento fotográfico dele aos poucos?”. Eu não vou dizer se é essa é a finalidade, mas se for e eu conseguir, aí sim, aguardem o post de missão cumprida.

Pronto, desabafei. Agora me deixem ir dormir, amanhã vou pra Cataguases e ainda tenho que fazer as malas! Mas não vou prometer nada sobre fechá-las. ;)

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe: