26 • junho • 2014

Castelo Rá Tim Bum 20 anos

Esse ano — mais precisamente em maio — o Castelo Rá Tim Bum fez 20 anos desde seu primeiro episódio ter ido ao ar, na TV Cultura. Quando eu era criança o programa estava no auge, com as gravações recém terminadas e reprisando o tempo inteiro. Lembro que fazia de tudo pra não perder nenhum episódio e ficava chateado quando tinha alguma coisa pra fazer no horário, mas ao mesmo tempo batia aquele alívio de saber que daí um mês o episódio entraria no ar novamente. :)

É inegável o quanto Castelo Rá Tim Bum marcou época e ainda é assistido e lembrado, merecidamente. Para comemorar esse aniversário super especial, um grupo se reuniu e mobilizou 50 artistas (incluindo eles) para criar 50 ilustrações sobre o programa, cada um com seu estilo e traço. O projeto acabou de ser finalizado e você pode ver todo o resultado nessa fan page. Bate uma nostalgia instantânea só de entrar, e é muito legal ver outras perspectivas dos personagens e locações! Reuni algumas das minhas favoritas, olhem só:

Castelo Rá Tim Bum 20 anos

Castelo Rá Tim Bum 20 anos

Castelo Rá Tim Bum 20 anos

Castelo Rá Tim Bum 20 anos

Continue Lendo

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



25 • junho • 2014

Celular

Até a metade do ano passado eu vivia no mundo limitado dos filtros que já vêm com o Instagram, até que o VSCO Cam foi liberado pra Android e eu finalmente pude editar minhas fotos num aplicativo bonito, completo, e que de quebra vende coleções de filtros à parte, dos quais eu já comprei vários, inclusive.

Outro aplicativo muito conhecido para editar fotos no celular é o Afterlight, mas até hoje nem sinal dele na Google Play, só pra quem tem iPhone mesmo. Um dos diferenciais é que além dos filtros igualmente lindos, ele te possibilita a aplicação de texturas de vazamento de luz e aquelas poeirinhas dos filmes que acabam sendo “reveladas” junto com as fotos analógicas. Não sabe do que eu tô falando? Vem aqui rapidinho ler esse post.

Como um fã dessa estética antiguinha da fotografia analógica, eu fui atrás de uma maneira de também aplicar texturas no Android, mais especificamente as dusty textures. E como vira e mexe alguém aparece nos meus comentários do Instagram perguntando como faz, eu resolvi mostrar o processo aqui no blog.

Mas antes de acompanhar a tutorial, faça o download aqui em cima de um mini pack de texturas que eu uso e reuni pra vocês. Coloque as imagens no seu celular, de modo que apareça na galeria. Feito? Agora sim, vamos lá:

1. Depois de editar uma foto no aplicativo de sua preferência, salve na galeria e abra-a novamente no PicsArt, ou exporte pro PicsArt diretamente do aplicativo de edição. O VSCO não tem opção de exportar pro PicsArt, por isso preciso jogar na galeria antes.
2. Nas opções que aparecem no rodapé do PicsArt, procure por essa “Adicionar…”, que serve para sobrepor uma segunda foto na original.
3. Toque em “Galeria”, ou se você tiver colocado as texturas em outro lugar como no Dropbox, clique no ícone respectivo.

4. Toque em “Foto simples”, já que vamos aplicar apenas uma textura.
5. Escolha a textura na galeria.
6. Para ajustar o tamanho, é só arrastar esse ícone com uma seta de duas pontas no canto inferior direito da textura.

7. A textura deve preencher toda a foto, assim.
8. Agora é só mudar o modo de mesclagem de “Normal” para “Screen” e ajustar a opacidade, caso queira.
9. Toque no ícone de “check” para terminar a edição.

10. Toque no ícone de compartilhamento.
11. Agora é só exportar para o Instagram (ou para onde quiser)…
12. …e publicar a foto editada como você já está acostumado a fazer!

Simples, né? Acho que o maior segredo era o recurso certo a ser usado no PicsArt e ter as texturas para fazer download. Agora vocês têm tudo isso! E aí vai uma dica: da mesma forma que eu mesclei duas imagens pra conseguir esse efeito, a mesma opção do PicsArt pode ser usada para fazer dupla exposição, por exemplo. É só usar a criatividade! Espero que tenham gostado e que tenha respondido a dúvida da galera que me pergunta sempre no Instagram. :)

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



24 • junho • 2014

Frappuccino de chocolate

Em 2014 meu gosto por café mudou. Se antes eu não era muito fã, depois de conhecer melhor as muitas variações e misturas que podem ser feitas eu passei a me interessar muito pelo assunto, a ponto de tentar eu mesmo fazer os meus próprios cafés. Usando a Starbucks como referência (já que a é a cafeteria mais conhecida), testei pelo menos três receitas encontradas na internet do frappuccino de chocolate servido lá, e acho que cheguei numa versão bacana pra compartilhar com vocês.

Ingredientes

Ingredientes frappuccino de chocolate

  • 250 ml de leite
  • 150 ml de café forte sem açúcar (aqui eu usei 3 colheres (chá) de café solúvel na água)
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • 1 colher (chá) de chocolate em pó
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha
  • 2 colheres (sopa) cheias de calda de chocolate
  • 10 cubos de gelo
  • 3 colheres (sopa) cheias de sorvete de creme ou baunilha
  • chantilly à gosto

Modo de preparo

1. Coloque todos os ingredientes menos o sorvete e o chantilly no liquidificador. Bata por cerca de 40 segundos ou até não ouvir mais nenhum “estalo” dos cubos de gelo se quebrando.

2. Adicione as 3 colheres (generosas, por favor) de sorvete e bata mais uma vez, mas dessa vez bem rapidinho, pra não dissolver todo o sorvete. A ideia aqui é que ele ajude o gelo a deixar o café mais consistente e menos líquido. Se você tiver um mixer, essa é a hora de usá-lo, porque ele não deixa o sorvete perder tanto da textura.

3. Agora é só colocar em um copo bem bonito, decorar com chantilly, calda e beber com um canudo. :)

Nas receitas que eu encontrei pela internet uma das dicas que sempre aparece é a de congelar o café (puro) numa forminha de gelo, assim você não precisa usar os cubos normais. Isso porque quanto menos água na receita melhor, pra deixar o frappuccino mais cremoso. Essa questão da água é inclusive a razão do uso do sorvete: originalmente eu teria que usar o dobro de gelo, mas pra evitar aqueles cristais chatos, eu fiz a substituição. Caso você não tenha sorvete em casa, pode fazer isso, usar mais gelo. Se quiser substituir também o chocolate em pó pelo achocolatado, é só diminuir o açúcar da receita. E a essência de baunilha é opcional, mas não é indiferente.

Eu fiz um vídeo do momento onde eu coloco o café no copo e cubro com chantilly e calda, e a ideia era fazer alguns gifs pra colocar no post. Mas meu computador não colaborou e ficou travando o tempo todo. Outra hora eu tento de novo e faço o update. Agora olha só como ficou:

Frappuccino de chocolate

Frappuccino de chocolate

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



23 • junho • 2014

Uma das coisas mais bacanas do processo de promoção dos filmes da trilogia Jogos Vorazes é que a equipe responsável pela divulgação utiliza de toda uma plataforma fictícia para isso, que inclui o site oficial da Capital e uma espécie de blog/revista de moda, o Capitol Couture.

O primeiro — principalmente — tem como base um design clean, que ao mesmo tempo passa sensação de seriedade e superioridade. Recheado de efeitos de transição em HTML5, a intenção é claramente a de simular o que seria um site na Panem do futuro. O blog também cumpre o que promete: tem cara de site de marca das grandes, tipo Chanel ou Fendi. E não poderia ser menos luxuoso, afinal estamos falando do canal de alta-costura da Capital.

Site Capital

Site Capital

Site Capital

Capitol Couture

Utilizando de todo esse aparato oficial de divulgação, foram liberados 7 pôsteres lindos para divulgar a terceira adaptação da trilogia, Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1. As imagens representam respectivamente 7 dos 12 distritos: o 3 (tecnologia), 4 (pesca), 6 (transportes), 7 (madeira), 9 (grãos), 10 (pecuária) e 12 (mineração). Ao contrário do que possa parecer, os cidadãos que aparecem nas fotos não são tributos, mas “heróis” escolhidos pela Capital para representar cada distrito. Ainda não se sabe onde estão os pôsteres dos restantes, mas eles devem ser liberados em pouco tempo.

Particularmente, eu fiquei encantado com as imagens, que parecem ter sido cuidadosamente produzidas, principalmente quando se trata de figurino, maquiagem, iluminação e pós-produção. Pena que não encontrei mais detalhes sobre o responsável pelas fotos. O que vocês acharam?

Distrito 3: Tecnologia

Distrito 4: Pesca

Distrito 6: Transporte

Distrito 7: Madeira

Distrito 9: Grãos

Distrito 10: Pecuária

Distrito 12: Mineração

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe: