Categoria: Diário - Página 4 de 7 - Melhor Ângulo
Peace & Love

Peace & Love

Aviso¹: vem post gigante por aí.
Aviso²: palavras imobiliária, imóveis e apartamento se repetirão pelo menos 100 vezes no texto. Favor não reparar. :)

Depois de 2012 e o início de 2013 se resumirem em um estágio e alguns meses trabalhando em casa, em maio finalmente voltei para Juiz de Fora a fim de continuar meu curso de Artes e Design na UFJF. Em 2011 eu não precisei lidar com nenhuma burocracia, apenas cheguei com a minha trouxinha de coisas na república e me acomodei no primeiro quarto disponível. A diferença é que dessa vez eu vim morar sozinho, e durante o processo de encontrar um apartamento, consegui tirar algumas boas lições. Fiz uma lista com os principais tópicos que me vieram à cabeça e organizei em uma espécie de 10 mandamentos.

Mas antes de mais nada, você precisa saber que para alugar um apartamento, as imobiliárias pedem garantias de que o aluguel será pago caso você seja inadimplente, o que não vai acontecer, certo? De qualquer maneira, geralmente são três formas de oferecer essa garantia:

  • Fiadores: pessoas que você procura e que precisam ter um imóvel próprio na cidade onde você vai alugar ou numa cidade próxima e/ou ter renda que ultrapasse 3 vezes o valor da soma aluguel + IPTU + condomínio. Geralmente as imobiliárias pedem dois fiadores, podendo variar essas regras de renda e propriedades de acordo com as exigências do dono do apartamento e da política da própria imobiliária.
  • Caução: é um valor em dinheiro, também de 3 vezes (em geral) o valor da soma do aluguel + taxas.
  • Seguro-fiança: resumidamente, a responsabilidade de quitar as dívidas do inquilino é dada a uma seguradora previamente contratada. Eu não me deparei com essa opção na minha experiência, mas aqui você entende melhor como funciona.

É aí que entra o primeiro mandamento da nossa lista.

Giselle Azevedo

Giselle Azevedo

Começarás a guardar dinheiro com no mínimo (no mínimo mesmo) 6 meses de antecedência

A verdade é que os primeiros meses morando só você e Deus serão os mais caros, então se prepare! Você não sabe se conseguirá um ou mais fiadores, então precisa ter o dinheiro de um possível caução em mãos. Fora que tem caminhão de mudança pra pagar, utensílios de cozinha, parcelas de móveis e eletrodomésticos, taxas de instalação de internet e TV (absurdas!), chuveiro e torneiras que poderão precisar de troca, e todo tipo de miudeza que só vai acarretar na sua falência. Por essas e outras é indispensável começar a fazer um pé de meia com no mínimo 6 meses de antecedência, ou 1 ano caso você e sua família não consigam tirar uma grande quantia por mês para essa poupança.

Pesquisarás antes pela internet

Imobiliária tá sempre cheia de gente olhando as pastas de endereços e falando ao mesmo tempo, uma loucura. Então para evitar um pouco do estresse que já é grande, pesquise na internet primeiro todas as imobiliárias da cidade, olhando sempre com carinho para as menos conhecidas. Nelas o atendimento costuma ser melhor, mais personalizado (lembram seu nome, por exemplo) e a probabilidade de você encontrar apartamentos melhores é maior; o ditado “quantidade não é qualidade” se encaixa muito bem aqui.

Tente ver os endereços no Google Street View, dê preferência para imóveis com fotos e não se esqueça de anotar as referências/códigos dos que te chamarem a atenção, porque aí é só chegar na imobiliária e ir direto pedindo as chaves.

Theo Gosselin

Theo Gosselin

Terás o máximo de documentos prontos

Antes de bater ponto nas imobiliárias, além de pesquisar na internet, procure saber que documentos você precisará apresentar quando encontrar seu apartamento dos sonhos; tanto seus, quanto dos fiadores (se for o caso). A maneira mais fácil de descobrir isso é ligando para várias imobiliárias e sabendo como cada uma trabalha. Dá também para procurar essas informações nos sites ou mesmo passar nas agências em si, geralmente eles têm folhetinhos prontos listando tudo o que é necessário.

Evitarás estacionamentos

Esse item depende muito de para qual cidade você se mudará. Aqui em Juiz de Fora, eu olhei no Google Maps antes alguns lugares no Centro que poderiam ter vagas para colocar o carro e assim não precisar apelar pra um estacionamento, afinal economizar nunca é demais nesse processo de mudança. Já que meu objetivo era encontrar alguma coisa no Centro mesmo ou em bairros vizinhos, conseguimos deixar o carro onde eu tinha planejado e fomos olhar os apartamentos a pé.

Pensarás onde vai passar a noite

É muito, muito difícil encontrar um apartamento que você ame no primeiro dia de busca. Se você vai procurar um imóvel em outra cidade como eu, não se esqueça de pensar onde vai dormir para no dia seguinte continuar sua aventura. Na primeira noite eu e meu pai combinamos de voltar para Cataguases, e tivemos uma sorte extrema de achar meu apê (odeio essa abreviação) no segundo dia. Se não tivéssemos achado, ficaríamos num hotel baratinho, só para dormir mesmo.

Bethan Phillips

Bethan Phillips

Pegarás o máximo de chaves possível

As imobiliárias te dão entre 2 e 4 chaves por vez, e você tem que devolvê-las dentro de 2 a 3 horas. Para isso, você precisa deixar um documento lá, geralmente seu RG. Se os apartamentos forem todos num mesmo bairro e próximos um do outro, aproveite seu pai, mãe, amigo ou a pessoa que você levou junto e pegue mais chaves em outra imobiliária, usando a identidade dessa pessoa. Se você ver que não vai dar tempo de ver tudo no prazo, é só devolver. O importante é que você não tenha chaves de menos, gerando uma sobra de tempo; o ideal é que você visite mais apartamentos e menos imobiliárias.

Levarás uma câmera

Se você fizer como no item anterior, suas visitas precisarão ser mais rápidas, certo? Use sua câmera ou celular para chegar e já ir fotografando cômodos, cozinha, banheiro, vista, fachada e corredores do prédio. Quando não depender mais do prazo para entregar as chaves (na hora do almoço ou à noite em casa, por exemplo), veja as fotos com calma, peça opiniões e faça uma avaliação final de cada imóvel.

Sam Alive

Sam Alive

Considerarás a localização

Faça uma lista de tudo o que você precisa ter por perto e tome como um dos principais requisitos para alugar o apartamento. Não adianta nada o imóvel ser maravilhoso por dentro, mas a localização ser péssima. Veja meu exemplo: meu prédio fica quase na esquina de uma das principais avenidas de Juiz de Fora, praticamente do lado de um supermercado, de uma feira, de uma farmácia, do ponto de ônibus para a faculdade, de um ponto de táxi, dos meus bancos, da minha igreja e da casa da minha amiga. Um tremendo de um achado, né?

Resolverás pendências pelo menos 2 semanas antes da mudança

Por último mas nem por isso menos importante, um item de experiência própria: uns quatro dias antes de levar minha mudança, fui à CEMIG (empresa de energia) para me cadastrar e pedir para ligarem a luz no meu apartamento. Também contratei internet, conversei com o dono do imóvel, procurei saber sobre como as correspondências são entregues, os dias de colocar o lixo pra fora, esse tipo de coisa.

Mas na hora da verdade, com o caminhão da mudança na frente do prédio, cadê que tinha luz? E cadê que o técnico de internet já tinha dado as caras? Não pudemos deixar nada na geladeira e só fui ter internet uma semana depois que eu já estava morando aqui. Então para o bem de vocês, 2 semanas antes já resolvam tudo isso que é pra se rolar algum imprevisto, dá tempo de solucionar. :)

Essas são 10 das principais lições que eu tirei da minha vinda pra Juiz de Fora, o que acharam? Espero que ajude vocês, e quem já passou por isso, me contem nos comentários!

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Mãe sendo modelo de mão

2012 foi um ano cheio de realizações materiais. Com o estágio remunerado e meus freelas de design aumentando cada vez mais, pude comprar um notebook com uma das melhores configurações do mercado, um smartphone, minha DSLR amada e agora, uma lente 50mm f/1.8, completando meu kit fotográfico inicial. Para falar a verdade, fiz a compra no início de fevereiro, mas os dinheiros usados ainda eram vestígios de 2012, hehe.

Sempre fui apaixonado por foco na fotografia. Deixar um objeto ou pessoa em primeiro plano e tirar a atenção de todo o resto parece mágico para mim até hoje. Por isso decidi por uma lente bem clara, com um diafragma bem aberto, de valor f/1.8. Como eu expliquei no post sobre abertura, quanto menor esse valor, mais aberto o diafragma fica, e assim, mais luz entra no mecanismo da câmera em menos tempo, tendo como uma das consequências um foco maior no que está sendo fotografado e o fundo mais desfocado. :)

Existem lentes com aberturas maiores, como a de f/1.4, f/1.2 e até a incrível f/1.0. Como é de se esperar, o preço também cresce, mas a qualidade do material que compõe a lente também é outra. A minha por exemplo, é claramente feita de plástico, mas já vi que uma f/1.4 – por exemplo – é bem mais pesada e resistente.

A distância focal escolhida foi de 50mm, queridinha dos fotógrafos. Ótima para retratos e objetos, ela tem um ângulo de visão parecido com o do olho humano e será perfeita para o tipo de fotografia que eu tenho feito e planejado fazer nessa minha fase. Além de tudo, a lente tem autofoco, o que me ajuda bastante quando estou com um pouco mais de pressa.

Fiz a compra novamente na Detona Shop por R$531,95 (frete incluído) e minha experiência com eles foi novamente muito boa, do preço ao atendimento rápido e atencioso. Uma dica é ligar para lá antes de fechar o pedido e confirmar se o produto está disponível no estoque para pronta entrega. Assim você garante uma entrega mais rápida! E por falar na Detona, há algumas semanas a loja fechou uma parceria com o blog, então fiquem de olho nas novidades em breve. :)

Para terminar, algumas fotos que tirei na época que a lente chegou. Já tenho várias novinhas, mas ainda não tive tempo para editar direitinho e tal. Olhem só:

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Zé Zorzan

Imagine a cena: Alguns parentes chegam, ou amigos, ou a(o) namorada(o), e em algum momento da conversa um deles sugere que o outro pegue os álbuns antigos da família para relembrar as festas de aniversário, as viagens à praia, as gestações… todos ali em volta do sofá folheando as fotos protegidas por películas de plástico transparente. De repente, uma das crianças mais novas da família chega do quarto entediada com a programação ruim na TV e ao vê-la, a mesma pessoa que sugeriu o álbum, agora tem a ideia de ver as fotos da criança quando ela era recém-nascida, coisa de 4 anos atrás: “Vamos lá no computador que o Sebastião Roberto pode parar o trabalho da escola um pouquinho pra gente ver.” “Pelo amor de Deus, passa isso mais devagar, Tião!”

Perceberam a diferença? Com certeza isso já aconteceu com você ou perto de você, né?

Não que eu sou contra a fotografia digital, muito longe disso. Mas eu sinto falta de como era mais interessante tirar uma hora de um domingo para sentar no sofá depois de um banho, pegar a caixa de sapato cheia de álbuns de 1900 e guaraná de rolha e olhar com calma, uma por uma, apreciando. No computador, você senta na mesma cadeira que leu e-mails estressantes e que passou horas procrastinando no Facebook, nem um pouco sagrado para um momento que deveria ser relaxante e perceptivo.

Foi pensando nisso que eu decidi começar o projeto-campanha 11 Por Mês, que se resume basicamente em imprimir 11 fotos, em cada um dos 12 meses a partir de 2013, ou seja, para a vida toda! O resultado será um punhado com 132 fotos representando o ano todo, o que é uma quantidade mais do que suficiente, não acham?

Sem regras, sem necessidade de planejar e clicar fotos especialmente para o projeto. Apenas fotografe durante o mês. Quando ele estiver em seus últimos dias, sente no computador, selecione as 11 mais legais e leve para imprimir! Não precisam ser fotos dignas de Flickr, basta serem registros: dos amigos na festa aos felinos no Instagram.

Como prometi, resolvi usar esse tema para gravar o primeiro vídeo do blog onde eu apareço, hahaha. Nele eu explico basicamente o que já está escrito no post, mas vale assistir. Só não reparem: eu estava com vergonha.

O projeto tinha uma intenção mais pessoal no início, mas decidi tentar cultivar a ideia e ver se mais pessoas topam encher as caixas de sapato comigo. Para isso, convidei alguns blogueiros e vocês leitores para escreverem sobre o projeto e tentarem comigo! Basta postar todo fim de mês falando sobre as fotos escolhidas e mostrando elas bonitinhas e impressas para os leitores. Caso não queira explicar como o projeto funciona, criei uma página específica para isso, é só deixar o link no post. :)

E se quiser clicar suas 11 fotos reunidas e postar no Instagram ou Twitter, não se esqueça de usar a tag #11pormesNa fan page do blog também tem uma imagem para compartilhar o projeto-campanha com seus amigos e incentivá-los a aderir!

É isso, não espero um grande sucesso, mas não quis privar todo esse pensamento comigo, juntem-se a mim nesse propósito! Espalhem essa ideia!

Por uma memória melhor documentada.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Desde o início do ano passado eu já tinha passado o olho no calendário e reparado que uma data como 12/12/12 não se repetiria tão cedo – só no próximo milênio – e por isso não deveria passar batida. Foi aí que por coincidência ou não, recebi em julho uma mensagem da Babi me convidando para participar do Projeto 121212, com mais 11 pessoas lindas e super talentosas também ligadas à fotografia. Fiquei muito empolgado e aceitei de cara!

A proposta é simples: 12 pessoas, fotografando no dia 12 de dezembro de 2012, e selecionando 12 fotos para representar o dia. Você precisam passar no álbum de cada um, tem cada foto linda que nem sei!

Visite o Cargo do projeto! :)

Nas minhas, usei a Zenit 122 (novidade) com um Fujifilm Superia X-tra 400, mas também fotografei com a DSLR para garantir. Como eu contei nesse post, o motor da câmera está começando a dar um probleminha que me faz perder muitas exposições, e isso me deixou com medo. Mas deu tudo certo! Organizei as fotos em ordem cronológica, no decorrer do dia:

12 Brazilian photographers. 12 photos each. All taken on 12/12/12.
No themes, no rules. Just one day, through the lens of each photographer.

Fiquei muito orgulhoso de ter participado e fico ansioso só de pensar em um novo projeto com essa turma talentosíssima. Espero que gostem! Espalhem pela internet!

 

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+