Categoria: Diário - Página 2 de 7 - Melhor Ângulo

Hoje eu começo aqui no blog uma nova tag, a #ObcecadoPor. Eu estou sempre mergulhado em alguma obsessão e tenho a capacidade de ficar horas e horas pesquisando sobre ela. Vejam, esses posts serão diferentes dos posts de inspiração que vocês já estão acostumados, ou até os moodboards que eu monto de vez em quando. A diferença aqui é que o assunto escolhido será sempre algo que tem me chamado atenção pessoalmente e naquele momento, sem temas escolhidos aleatoriamente. E pode ser sobre qualquer coisa, qualquer coisa mesmo: uma tendência de design, um técnica fotográfica, uma série, um diretor, uma banda, um estilo musical, uma trend de moda, uma cor… ou duas cores.

Pra começar essa brincadeira eu gostaria de dizer que estou obcecado por preto e branco, amigos. Com uma leve inclinação para o preto, eu diria. Eu sou e sempre fui apaixonado por cores, raramente imagino qualquer coisa em preto e branco, mas ultimamente a saturação tem dado uma maneirada no meu gosto. Roupas, sapatos, objetos de decoração, até o efeito escolhido no VSCO Cam na hora de editar uma foto pro Instagram tem tido influência do preto e branco. Eu não falo necessariamente do P&B fotográfico, mas dessas cores aplicadas no dia-a-dia, sabe? E o engraçado é que se você começa a aplicar o preto e o branco nas coisas, as duas geralmente pedem que todo o resto seja menos colorido, então tudo começa a ficar mais sóbrio por si só.

Fiz uma seleção de referências pra esse post, e decidi que pra fazer as montagens dessa tag vou fazer questão de procurar em cada uma das minhas redes sociais por likes, reblogs e repins associados ao tema, afinal é pra ser tudo real, certo? Preto no branco (não resisti)! As imagens de hoje vieram do Instagram, Lookbook, Pinterest e Tumblr. No fim do post tem um link pra cada uma delas, caso vocês queiram jogar nas redes de vocês também! ;)

Preto e branco

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Therry Lee por Zé Zorzan

A maioria das pessoas voltaram à ativa em seus respectivos trabalhos no dia 5, e o mesmo aconteceu na blogosfera, resultando num Feedly pipocado de posts novos nessa última semana. Comigo foi diferente. Nesses últimos dias eu comecei a colocar em prática uma das minhas metas para 2015, que é cuidar melhor da minha saúde, principalmente da alimentação. E nessa loucura de iniciar novos hábitos, eu só consegui pensar nisso! Mas, paralelamente, eu arranjei um tempinho aqui e ali pra planejar com calma os detalhes de cada projeto que eu tenho para esse ano que a gente tem pela frente. E pois bem, chegou a minha vez de voltar aos trabalhos neste blog cheio de teias de aranha!

Pra começar com o pé direito, resolvi finalmente publicar algumas fotos que eu fiz em agosto, com a minha amiga Therry, no bosque que fica do lado do prédio do nosso curso na UFJF. Foi um passeio muito bacana, num finalzinho de tarde proposital para pegar aquela luz bonita, com direito a fotos descontraídas e cheias de movimento! :)

Therry Lee por Zé Zorzan

Therry Lee por Zé Zorzan

Therry Lee por Zé Zorzan

Therry Lee por Zé Zorzan

Zé Zorzan

Therry Lee por Zé Zorzan

Zé Zorzan

Therry Lee por Zé Zorzan

Therry Lee por Zé Zorzan

Therry Lee por Zé Zorzan

Sapatos

Therry Lee por Zé Zorzan

Editar esse material me fez lembrar das minhas origens aqui no blog, e o quanto eu sonhava em comprar uma DSLR quando tudo isso começou. Percebi que depois do sonho realizado, a vida foi amontoando um monte de responsabilidades nas minhas costas e os prazeres foram ficando de lado. Por isso, como eu disse ontem lá no Facebook, 2015 agora ganha mais uma meta: voltar a fotografar, adentrar de cabeça nesse mundo que ficou num cantinho me esperando em 2014 e eu infelizmente não consegui dar atenção. Espero ter muito mais fotos para mostrar pra vocês aqui!

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Metas 2015

2014 foi um ano difícil. Novas responsabilidades, novos compromissos, e muita barra pra segurar. Tive que rever minhas prioridades temporariamente, e pra isso acabei deixando de lado muito do que eu gostaria de ter feito. A sensação foi de que tudo foi empurrado com a barriga, sabe? Teve pressão, teve estresse… mas também teve menos solidão e mais amor pra compensar e aliviar toda essa loucura. É claro que nem mesmo nessas relações tudo foram flores, mas eu tento ver toda experiência como uma coisa válida e positiva na minha vida, e posso dizer que no fim das contas, aprendi muito nos últimos 12 meses. Tanta coisa aconteceu, tanta coisa mudou! E se 2014 foi um ano de ação (e bota ação nisso), 2015 será de transição: mais tranquilo, mas ainda um ano daqueles!

Sinto que minha maior necessidade agora é a de organizar a bagunça e colocar a vida no lugar; focar novamente nos meus objetivos e sonhos, e não desistir no primeiro fail. Nunca estive tão determinado a fazer tudo acontecer, ao mesmo tempo que nunca estive tão consciente e com os pés no chão sobre o processo que vai me fazer chegar lá. Nada de sonhar acordado, nada de pensar só no resultado final, e isso vale para todas as metas de 2015! Falando nisso, vamos ver quais são elas?

1

Cuidar da minha saúde: Reuni nessa meta todos os aspectos relacionados à saúde, incluindo uma reeducação alimentar aliada com exercícios prazerosos (andar de bicicleta, por exemplo) que vai me levar a um emagrecimento há muito tempo desejado. Pretendo também colocar aparelho: é uma necessidade, mas sempre acabo enrolando, e já estou ficando muito velho pra isso! Ainda quero cuidar melhor da minha visão fazendo uma nova consulta ao oftalmologista para atualizar o grau e ficar sempre de olho na postura, minhas costas agradecem!

2Gastar meu dinheiro com as coisas certas: Em 2014 consegui tomar algumas iniciativas quanto a isso, mas no geral eu gastei muito mais do que precisava. Está mais do que na hora de evitar esses gastos bobos e usar meu dinheirinho suado com compras mais necessárias, itens para o apartamento principalmente (já chego lá). Roupas por exemplo não são mais prioridade, e levando em conta que eu vou conseguir emagrecer… hahaha, ninguém gosta de perder uma calça bonita porque o número diminuiu, né?

3Investir mais no meu trabalho na internet: Dei um tempo nos freelas há alguns meses por causa do trabalho fixo, mas estou voltando com a criação de layouts para blogs! A ideia é divulgar melhor o que eu faço, falar mais sobre processo de criação, trazer mais desse meu lado hard worker para a internet e assim conquistar novos clientes e criar uma imagem mais sólida como designer.

4Me dedicar ao blog: Nem preciso falar no quanto o Melhor Ângulo sofreu esse ano, né? Bati o recorde de menor número de postagens desde o início do blog em 2011! Mas isso vai mudar, e vem vindo aí um layout novinho em folha pra me deixar mais animado ainda em ver conteúdo novo toda semana aqui, e não queria falar nada, mas um tal de YouTube pode ter a ver com isso… Shhhhhhhh!

5Estudar mais: Aqui, além de me dedicar à faculdade (reta final, finalmente), entra a vontade de ler mais livros técnicos e praticar o que já tenho noção, como Illustrator e algumas técnicas diferentes de fotografia.

Zé Zorzan

6Decorar meu apartamento: Essa é uma meta ongoing, ou seja, já comecei a dar meus toques pessoais por aqui. Mas ainda falta muito, deixar um apartamento inteiro com a sua cara é muito difícil, gente! Mas pode deixar que vocês vão ficar sabendo de muita coisa, porque minhas aventuras provavelmente virarão posts! ;)

7Criar um novo blog: Outro segredo! Mas digamos que uma ideia surgiu casualmente numa mesa de restaurante em pleno sábado 35º de Juiz de Fora, e eu fico ansioso só de pensar! Não, o MA não vai acabar (para a tristeza das inimigas), mas trata-se de um projeto que precisa ser pensado e planejado com calma, até porque o tema é de nicho, então não devo ter novidades até o meio do ano. Mas o objetivo aqui é tirar a ideia do papel o quanto antes, e se depender de mim, isso acontece ainda em 2015!

8Ser meu centro das atenções: Quero dar mais atenção a mim mesmo esse ano, priorizar minha felicidade e bem-estar acima de tudo, e isso em todos os aspectos da minha vida, incluindo trabalho, família, amizades, amores e tempo livre. Me livrar de vez da preocupação com o que os outros pensam (já evoluí muito nisso) é um dos passos principais dessa meta! Venho fazendo isso com mais afinco nos últimos meses e a sensação é tão boa que só quero saber de continuar. :)

9Ser mais social: Dizem que eu melhorei muito quando o assunto é ser social e conhecer pessoas novas, mas eu tenho um problema em manter esses laços por mais tempo, sabe? Conhecer pessoas, fazer novos amigos! Viver uma vida offline ainda mal desbravada, me divertir mais, sair da zona de conforto e me arriscar mais por aí!

10Não me deixar desanimar tão facilmente: No fundo, o mais importante pra tudo isso dar certo é que eu não posso entregar os pontos no primeiro obstáculo. Esse é meu maior defeito, e é ele que sempre estraga todos os meus planos e traz aquele desânimo chato. Tento culpar a tudo e a todos, mas o maior culpado sou eu mesmo, e se engana quem pensa que eu não tenho essa consciência. Ainda não sei exatamente como lidar com isso, mas estou disposto a fazer de tudo para ignorar os pensamentos negativos e lembrar do quanto eu quero transformar todas essas metas em realidade em 2015. Otimismo, otimismo!

É isso, objetivos definidos, prontinhos para serem alcançados! Alguém aí se identificou com um ou vários? Nos vemos no próximo trimestre com o andamento dessa brincadeira toda, hein! Ah, e se você chegou até o fim do post, me comunique nos comentários para receber seus merecidos parabéns! ;)

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Pés na água

Eu sempre fui fascinado pelas estações do ano. Tenho uma lembrança em especial da minha infância, onde eu, pirralho, coloria um desenho (daqueles mimeografados) com uma mesma paisagem no outono, inverno, primavera e verão. Achava interessante, sabe? Como podiam ser tão diferentes? Mais tarde eu entenderia porque não nevava na minha cidade, ou porque as flores não desabrochavam da noite pro dia: alguém me explicou que no hemisfério sul as estações não eram tão divididinhas, que o verão e o inverno eram as que mais davam para sentir na pele.

A partir daí as duas começaram uma briga sem fim pela minha preferência. Ainda criança, preferia o verão porque era sinônimo de férias, achava mais divertido e tinha mais ânimo para inventar moda em casa: fazer picolé, tomar banho de mangueira, brincar até tarde na rua. Já maior, eu me vi uma dessas pessoas que dizem amar o inverno e são irredutíveis sobre isso. Era só chegar o fim do ano que o sentimento bom de festas entrava em conflito com o calor e me deixava mal humorado, implicante e reclamão.

vani verão (1) vani verão (2)
vani verão (3) vani verão (4)

Percebi também que era influenciado pelos clichês “no inverno as pessoas se vestem melhor” ou “no inverno dá pra ficar debaixo do cobertor vendo um filminho e comendo pipoca”, mas a verdade era que com meus 12 anos de idade minhas roupas ainda eram escolhidas pela minha mãe (pense num armário todo azul marinho) e eu raramente assistia filmes a não ser os da Sessão da Tarde.

Passei anos assim, dizendo a todos os cantos que o inverno sambava no verão, até que há alguns meses eu lembrei de todo esse meu histórico com as estações e decidi reparar melhor no que acontecia em cada uma delas. Descobri que assim como tudo na vida, o inverno tem seus contras e o verão por incrível que pareça tem seus prós, características essas que não vou citar aqui porque continuo achando que é uma questão de opinião, e de bagagem. Já parou por exemplo pra pensar que coisas incríveis (ou não) que te aconteceram em determinado mês podem ter te ajudado a construir essa preferência?

Em vez de reclamar no Twitter como fiz um dia desses, aprendi que dá para sobreviver ao verão com um conjunto de 5 coisas simples: um ventilador, bermudas, sucos de frutas (gelo extra), banhos frios e um bom óculos de sol. E digo mais: se eu sair por aí me sentindo bem comigo mesmo, não há suor que vai me vencer!

vani verão (1) vani verão (2)
vani verão (3) vani verão (4)

Parece uma explosão de otimismo, né? Chega a soar estranho e pode gerar até uma vergonha alheia em algum de vocês, mas acho que aquela fase adolescente de reclamar de tudo já passou pra mim. As responsabilidades na vida de um rapaz de 21 anos só vão crescendo, e com elas as coisas vão ficando mais sérias, difíceis e estressantes. Não dá pra se fechar num cômodo de negatividade num cenário assim, sabe? Aos 15 eu disse a mim mesmo que nunca mais seria o garoto influenciável e sem personalidade que eu era. Ainda hoje me restam alguns obstáculos para chegar ao 100% eu mesmo, e foi com um exemplo simples como o do verão que eu quis compartilhar duas das minhas conquistas mais recentes: descobrir que tudo bem mudar de ideia e que é possível ser mais positivo sobre a vida.

E você, o que pensa sobre o verão?

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+