23 • junho • 2014

Uma das coisas mais bacanas do processo de promoção dos filmes da trilogia Jogos Vorazes é que a equipe responsável pela divulgação utiliza de toda uma plataforma fictícia para isso, que inclui o site oficial da Capital e uma espécie de blog/revista de moda, o Capitol Couture.

O primeiro — principalmente — tem como base um design clean, que ao mesmo tempo passa sensação de seriedade e superioridade. Recheado de efeitos de transição em HTML5, a intenção é claramente a de simular o que seria um site na Panem do futuro. O blog também cumpre o que promete: tem cara de site de marca das grandes, tipo Chanel ou Fendi. E não poderia ser menos luxuoso, afinal estamos falando do canal de alta-costura da Capital.

Site Capital

Site Capital

Site Capital

Capitol Couture

Utilizando de todo esse aparato oficial de divulgação, foram liberados 7 pôsteres lindos para divulgar a terceira adaptação da trilogia, Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1. As imagens representam respectivamente 7 dos 12 distritos: o 3 (tecnologia), 4 (pesca), 6 (transportes), 7 (madeira), 9 (grãos), 10 (pecuária) e 12 (mineração). Ao contrário do que possa parecer, os cidadãos que aparecem nas fotos não são tributos, mas “heróis” escolhidos pela Capital para representar cada distrito. Ainda não se sabe onde estão os pôsteres dos restantes, mas eles devem ser liberados em pouco tempo.

Particularmente, eu fiquei encantado com as imagens, que parecem ter sido cuidadosamente produzidas, principalmente quando se trata de figurino, maquiagem, iluminação e pós-produção. Pena que não encontrei mais detalhes sobre o responsável pelas fotos. O que vocês acharam?

Distrito 3: Tecnologia

Distrito 4: Pesca

Distrito 6: Transporte

Distrito 7: Madeira

Distrito 9: Grãos

Distrito 10: Pecuária

Distrito 12: Mineração

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



15 • abril • 2014

Há mais ou menos um mês eu fui num dos McDonald’s aqui de Juiz de Fora e fiz um pedido pra viagem. Era um típico combo de hambúrguer, refrigerante e batata, mas o copo foi um grande problema: tive que trazer na mão, enquanto hambúrguer e batata se espremiam naquele saco de papel, muito pequeno pros três itens. Quando perguntei à atendente se havia alguma embalagem própria para carregar copos por aí, ela só tinha uma opção, pra dois copos, o que só pioraria a minha situação.

Calma, esse post não é uma grande reclamação. É que depois desse dia, eu fiquei pensando em como as redes de fast-food não se preocupam muito com os clientes mais apressados, que não vão parar numa praça de alimentação pra comer; se não existia uma maneira mais funcional para as embalagens “to go”, e se algum designer por aí já tinha projetado uma proposta interessante, seja oficialmente em conjunto com uma das marcas, ou como trabalho pessoal mesmo. Levando em conta que tudo já foi feito nessa vida, é óbvio que eu encontrei material muito bacana pra mostrar pra vocês. :)

O primeiro projeto é do estudante Seulbi Kim, da Rhode Island School of Design. Ele desenvolveu uma “sacola” que comporta os três principais itens de um combo tradicional ocupando 50% menos volume e utilizando menos papel. A única coisa que eu não vi Seulbi detalhar é como o papel aguentaria o peso de um copo cheio, e se o “suor” que ele gera não agravaria mais ainda a situação, rasgando a embalagem.

Togo Burger by Seulbi Kim

Togo Burger by Seulbi Kim

Togo Burger by Seulbi Kim

Togo Burger by Seulbi Kim

O segundo projeto é do também estudante Robert Bye, da Brunel University em Londres, que nesse caso focou no consumo exagerado de papel na fabricação das caixas e das sacolas. Para solucionar o problema, ele usou o combo do Big Mac do McDonald’s como exemplo: colocou as batatas junto com o hambúrguer numa caixinha, e ao lado, deixou um espaço próprio para o copo. Para entender melhor como funciona, assista o vídeo e dê uma olhada nas imagens abaixo:

Fast-food Packaging Redesign by Robert Bye

Fast-food Packaging Redesign by Robert Bye

Continue Lendo

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



11 • dezembro • 2013

Eu venho reparando desde sei lá, ano passado, que a cor mostarda vem aparecendo em todos os cantos: moda, decoração, design, etc. Particularmente, no verão e outono ela sempre dá as caras com mais força; no verão por ser bem vibrante e no outono por ser um tom terroso e ter tudo a ver com essa época das folhas secas (que rola mais no hemisfério norte, infelizmente). No início eu ficava meio assim, olhando torto, mas nos últimos meses isso mudou de uma hora pra outra e eu me vi obcecado e querendo ter mil coisas nessa cor! Meu amarelo de cada dia que me desculpe.

Pensando nisso, montei um moodboard com imagens que representam o mostarda nos contextos que eu citei: de peças de roupas à pôsteres e itens decorativos. O post de hoje também é uma tentativa de voltar com montagens desse tipo, que eu gosto demais, mas que me irritavam porque as imagens originais e grandonas não ficavam separadinhas caso vocês quisessem salvar ou jogar no Pinterest. :( Mas desencanei e acho que fica bonito e agrega no quesito inspiração, não acham?

Moodboard mostarda

Pra terminar, fotos de uma bermuda que comprei na C&A há algumas semanas e que é a peça do momento no meu guarda-roupa. Custou só R$39,90 (uma pechincha) e eu estou apaixonado. :)

Bermuda mostarda

Bermuda mostarda

Bermuda mostarda

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe:



16 • agosto • 2013

A gente que é blogueiro sabe que pauta nem é tão difícil assim de conseguir. Pode vir de um comentário, uma aula na faculdade, a roupa do colega, o filme em cartaz, o clima muito doido. Dessa vez eu estava pinando algumas coisas no Pinterest, quando descobri por acaso o projeto Cyclemon, criado pelos franceses Orthonormai e Thomas Pomarelle. A ideia é simples: uma série de personalidades e as bicicletas que mais se identificam com elas. Tem o que pedala à noite, o avô, o estranho, o hipster, o vintage e claro, o fake. As ilustrações são lindas, me conquistaram; e como um apaixonado por bicicletas, não pensei duas vezes em vir mostrar pra vocês. :)

1

2

3

4

5

6

7

8

Tenho 21 anos, sou de Cataguases (Minas) e trabalho como web designer, sempre mantendo e praticando minha paixão pela fotografia nas horas vagas.
Compartilhe: