Categoria: Decoração - Página 3 de 4 - Melhor Ângulo

Eu gosto demais dessa coisa de definir o ano inteiro em uma cor. Sei lá,  junto com a lista de metas parece que a cor ajuda a delimitar melhor os meses, dizer pra gente que sim, chegou 2013, chegou uma nova história. Viajo demais?

A Pantone segue esse ritual de soltar na mídia a cor do ano, e para 2013, depois de muito trabalho e pesquisa, a escolhida foi a Pantone Emerald 17-5641, um tom de verde só um pouquinho puxado para o azul, nem muito vivo nem muito opaco, nem muito claro nem muito escuro. Corri no Pinterest e procurei fotos principalmente de decoração, mas também tem espaço para papelaria e padronagem. O resultado é um mural de inspiração que ficou todo uniforme e bonito:

Por coincidência eu já aderi à tendência com a minha canequinha de lápis e canetas, empoeiradinha que só:

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Minha cor favorita é o amarelo, conheço poucas pessoas que gostam tanto dessa cor como eu. Não sei explicar, acho bonita de se ver, é uma cor que alegra, é chamativa e a cara dos dias claros e ensolarados na medida certa. Há um tempo atrás eu venho reparando nas combinações do amarelo com o cinza, em todos os cantos: design, roupas e decoração.

O cinza é super versátil e se dá bem com várias outras matizes, inclusive até quero fazer um post sobre ele. “Mas a perfeição cinza + amarelo também tem uma explicaçãozinha: o amarelo é a cor pigmento mais viva, e no espectro luminoso, ela é a que mais se aproxima do branco. No preto, o amarelo adquire sua potência máxima de luminosidade, e no branco, quase não tem destaque. Ou seja, no meio termo (o cinza, principalmente se for o cinza neutro) o amarelo fica equilibrado. Luminoso, mas não tanto quanto no preto.”

Juntei várias fotos e fiz algumas anotações nos detalhes, pra vocês não deixarem os detalhes passarem despercebidos e usá-los como ideias. ;)

 

O trecho entre aspas e em itálico é um complemento muito bom que a leitora Lídia fez nos comentários. :)

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Passei basicamente minha infância vendo estes objetos circularem aqui em casa, mas nunca parei para pensar de fato sobre como essas velhas pranchetas de madeira – que podem ser encontradas em qualquer papelaria ou lojas que vendam materiais para escritório -, podem virar grandes objetos decoradores.

O legal de tê-las na parede, é que além de dar aquele charme no quarto ou outro cômodo, elas também funcionam como grandes organizadoras. É também interessante porque, quem não precisa ao menos vez em quando deixar à vista aquela agendinha de compromissos do dia ou da semana? Ou então deixar exposta aquela fotografia que você tirou, achou digna e quer que todos vejam. E, quem sabe, até frases, ilustrações ou pôsteres que você viu no Tumblr e quis imprimir para ver todos os dias ao acordar!

Mas tudo bem, vamos deixar de enrolação e ver umas inspirações:

Se você quiser, também pode colocar a mão na massa (para dar aquele toque pessoal) forrando-as com papel para decoupage ou um tecido que tenha uma estampa legal. Abaixo vocês podem assistir dois vídeos de como personalizá-la com tecido:

Na hora de fixar na parede é o mesmo esquema das molduras: você pode usar fita dupla face de silicone ou o bom e velho martelo, tudo vai depender do seu bolso. Gostaram de mais essa ideia? Aposto que nem imaginava tanta utilidade pra uma prancheta, né?

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

Dando um pausa nos posts sobre como economizar na decoração, hoje vamos falar um pouco sobre organização. No fundo, no fundo, todos gostamos daquela baguncinha saudável no quarto, aquela que dá um “quê” pessoal em um lugar que julgamos só nosso. Mas venhamos e convenhamos, rola sempre um alívio quando nossa mãe passa e deixa tudo arrumado e limpo, vai dizer que é mentira? Principalmente quando temos que achar algum objeto perdido o mais rápido possível na correria do dia-a-dia.

Por isso, vamos resgatar lá do baú aquela mensagem que passei para vocês no primeiro post: “Primeiramente é de extrema importância que você saiba que se não quer tirar muito dinheiro do bolso, terá que por a mão na massa. Isso inclui colar, lixar, pintar, cortar, costurar, mexer com fiações (para fazer tomadas, por exemplo) e talvez até pregar.”

E, abre aspas para mais uma citação: “Humildade também é importante! Encontramos muita coisa nas ruas que podem ser reaproveitadas. Então se você ver algo por aí, jogado do lado de um poste e achar que possa lhe ser útil, não tenha medo nem vergonha! Além de estar economizando, você estará fazendo um favor para a natureza.”

Mas, antes de tudo, vamos falar um pouco sobre caixas organizadoras. Com certeza vocês já as viram em muitos lugares, mas nunca chegaram a perceber a extrema importância deste objeto. A vantagem de ter uma várias dessas é que por estarem disponíveis em diversos tamanhos e cores, pode-se incluí-las em vários ambientes. Além disso, elas são totalmente versáteis e você pode colocar dentro delas todos os objetos possíveis, os mesmos que antes davam um peso visual no seu quarto. Com uma composição legal, até uma estante velha e bagunçada, fica bonita.

Vocês podem encontrá-las em lojas de utilidades e/ou lojas de embalagens para presentes grandes. Em lojas de decoração também, mas geralmente são mais caras, de qualquer forma é sempre bom estar indo para dar uma olhada nas promoções.

Enfim, agora que já conhecemos a magia dessas caixas vamos falar de reciclagem. Sabe aquelas caixas de madeira que armazenam frutas e legumes na feira aí perto da sua casa? Então! Vocês já pararam para pensar o quanto esses caixotes podem ser úteis? Há pouco tempo atrás me deparei com alguns amigos que pegavam essas caixas e faziam de sapateira, resolvi pesquisar um pouco e voilá! A grande diversidade de re-utilização destes materiais é genial. Além de ser totalmente sustentável, é de baixíssimo custo para o nosso bolso, já que podemos – as vezes – pegar de graça na feira, o normal é comprar dos comerciantes.

O interessante desses caixotes é que quando empilhados podemos utilizá-los como estantes, criados-mudos, prateleiras, sapateiras e até, quem sabe, mini-hortas. Por isso não se acanhem, corram para a feira! Peçam, insistam e, como última opção, paguem. Peguem no mínimo três desses e ponham a mão na massa. Usem uma lixa bem grossa (de grana 60 está de bom tamanho) na madeira para tirar as imperfeições e caso não queiram pintar, apliquem um pouco de cola misturada com água, para impermeabilizar a madeira, deixando-a assim, mais resistente à umidade.

Eu gostei tanto da ideia que no final peguei foram 5 caixotes para utilizar aqui em casa e os enchi de livros, já que estava sem lugar para colocá-los. Mas a maneira de utilização desses caixotes é variável e totalmente pessoal.

Por fim, procurando aqui pela internet, achei um vídeo da revista Casa & Jardim, mostrando o trabalho de 3 designers e a solução que eles chegaram na utilização do caixote. É claro, sem gastar muito. Vale a pena dar uma conferida:

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+