MA recomenda: (500) Dias com Ela - Melhor Ângulo

É como um desafio escolher um bom filme, mas é gratificante quando pegamos aquele que é ao mesmo tempo divertido, adorável e, principalmente, honesto. Foi assim que eu me senti quando, entre várias opções, escolhi (500) Dias Com Ela no inicio de 2011: grato pela lição e pelos bons momentos.

No filme de estréia do diretor Marc Webb, Tom (Joseph Gordon-Levitt) é um romântico miserável que tenta descobrir o que deu errado em seu relacionamento com Summer (Zooey Deschanel). A partir de suas conclusões ele redescobre as suas verdadeiras paixões e cria novas concepções para a sua vida. E parte daí o ponto alto do filme que abre espaço para nos identificarmos com a história: muita gente já deve ter passado por aquele momento infortúnio após um relacionamento acabado onde ficam horas relembrando os momentos compartilhados para buscar respostas. De qualquer forma, nunca foi o meu caso, mas tive várias outras oportunidades pra encontrar um espaço pra mim no filme.

Por trás de um roteiro bastante simples há muitos outros aspectos atraentes nessa história. O maior deles é a falta de uma ordem cronológica definida, que é uma boa escolha por não nos deixar decepcionar com os acontecimentos posteriores, como se já esperássemos aquilo, e por apresentar os acontecimentos como um contraste imperfeito de lembranças boas e ruins. Mas o mais importante é o carisma de Joseph Gordon-Levitt e o triste olhar vago que vai surgindo em Zooey Deschanel conforme sua personagem se descontenta com o relacionamento.

Realçado pela trilha sonora bem adequada e emocionante (e as musicas são realmente boas), (500) Dias Com Ela é também uma confusão de estilos, as vezes usando técnicas de documentários, até implantando uma cena musical vergonhosa em outro momento – que somadas a algumas piadas infelizes afetam um pouco o filme. Mas é tudo em prol do sentimentalismo, da definição do amor e do argumento do filme: o amor realmente existe? Somos mesmo destinados a uma pessoa aleatória no mundo? Enfim, opiniões pessoais a parte, são esses pensamentos que encorajam a reflexão e que nos fazem encontrar no filme uma sincera opinião sobre a sensibilidade romântica moderna.

No mais, (500) Dias Com Ela é uma das melhores comédias românticas – e a minha preferida – dos últimos anos. Se você ainda não a assistiu, eu recomendo, e se já assistiu comenta aí o que achou!

Opinião do Zé

Não entendo nada de cinema como o Nivaldo, meus amigos da faculdade e etc, mas é impossível não recomendar o filme pra Deus e o mundo: é de te deixar prestando atenção do início ao fim, a cronologia, o “Expectations – Reality”, o final irônico do Tom, a trilha sonora, e apesar de #tensa não tem como não rir do número musical no meio do filme, concordam comigo?

Vocês podem encontrar mais informações sobre o filme no site oficial e na página do filme no IMDB.

Obs.¹: O filme foi lançado em 2009.
Obs.²: Recomendo o Joseph Gordon-Levitt como cantor; ele tem poucas musicas gravadas oficialmente, mas no YouTube dá pra encontrar várias – ele tem um ótimo gosto musical.

Compartilhe:
Facebook Twitter Pinterest Google+

  1. Thais Rodrigues
    26 de janeiro de 2012 às 19:38

    Esse filme é vida, fim. Amei o post!


  2. Jéssica Macedo
    26 de janeiro de 2012 às 19:44

    não assisti esse filme ainda. valeu a dica!


  3. Yhury Nukui
    26 de janeiro de 2012 às 19:48

    Com toda certeza do mundo um dos meus filmes favoritos! Foi depois dele que eu passei a me interessar pela Zooey Deschanel, já que o trabalho do Joseph eu já conhecia há um bom tempo.



    • 26 de janeiro de 2012 às 21:58

      Comigo foi ao contrário, hahaha.


  4. Bárbara
    26 de janeiro de 2012 às 20:49

    Eu sempre fico com um sorriso no rosto pensando nesse filme. É inteligente, engraçado, simples como o Nivaldo falou, e o que tem de mais atrativo nele é com certeza a mini lição de moral que aprendemos no final, que fugiu muito do que eu esperava, mas não de uma forma ruim, mas realista. Gostei muito do filme é divertidissimo.



    • 26 de janeiro de 2012 às 21:59

      Concordo em gênero e grau!


    • Nivaldo
      26 de janeiro de 2012 às 22:25

      Exatamente, Bárbara. Meu atrativo preferido no filme é o equilíbrio criado entre a crueldade do amor e a necessidade do mesmo; Marc Webb fez algo que está no meio disso.
      O filme pode ser um pouco deprimente, mas cada momento pra chorar e cada momento pra rir trazem muito mais que qualquer outro filme do gênero. As comédias românticas ultimamente estão muito mais superficiais e besteiróis, por isso amo (500) Dias Com Ela, por fugir do padrão.


  5. Raone Araujo
    28 de janeiro de 2012 às 14:05

    Um dos melhores filmes que assisti em 2010. Sem dúvidas! Como o pessoal já comentou, o que mais me chamou atenção foi o final super inesperado. E também, o fato de o filme retratar coisas simples e comuns nos relacionamentos de hoje em dia, que raramente prestamos atenção, por serem tão óbvias. E foi através de “(500) Days of Summer”, que eu conheci o trabalho da banda “Hall & Oates” que inclusive, a série Glee fez um mashup de duas músicas deles (uma delas, toca no filme) nessa nova temporada. Além disso, o filme tem uma ótima direção de arte, fotografia impecável e sem falar nas duas trilhas sonoras: tanto a musical, com a presença do folk da Regina Spektor, do som gostoso da Carla Bruni, e da minha vida The Smiths. E também da trilha sonora score, que foi composta pelos adoráveis Mychael Danna & Rob Simonsen.
    Enfim, o filme é único e encantador. Vale a pena ser re-assistido!


    • Nivaldo
      28 de janeiro de 2012 às 15:19

      Os figurinistas acertaram mesmo na hora de criar estilos incomuns para os personagens principais. Mas pra quem acompanha a carreira dos atores vai perceber que eles tem estilos bem parecidos com os de seus personagens. Digo, o Joseph tem um estilo de se vestir bem único e certinho, que a gente vê no Tom. E a Zooey também.


  6. talyne
    29 de janeiro de 2012 às 21:32

    Confesso que já esperava ver um post aqui sobre esse filme. Esse é o meu filme favorito, perfeito em todos os aspectos. Mas a forma como a história é contada que o faz ser principalmente, especial. Amei o post (:


  7. Bruna
    04 de fevereiro de 2012 às 21:26

    ADORO esse filme. O estranho é que já falei isso pra algumas pessoas e elas me acharam louca já que o final não é um e viveram felizes para sempre tradicional. Mas acho que é exatamente isso que gosto no filme. O Tom e a Summer terminaram felizes sim, mas cada um a sua maneira. Não acho que é pra ser a história do casal perfeito. Pra mim é como um choque de realidade. É um filme tão fofo em todos os aspectos que não tem como não amar.

    http://alegraas.blogspot.com/



    • 04 de fevereiro de 2012 às 22:04

      Né? Tá precisando rolar mais filmes assim hoje em dia, que não enganem tanto o espectador.


  8. Karla Shimene
    26 de novembro de 2012 às 13:16

    Acho lindo esse filme.
    Adoro finais diferentes, quando o mocinho(a) morre, quando nada da certo, quando o clichê não existe.
    Fica mais realista.

    http://www.mundodapoli.com


  9. Carina
    08 de janeiro de 2013 às 00:06

    Não é atoa que 500 dias com ela é meu filme preferido! Hahah.
    Além do elenco ser ótimo (Zooey <3), o enredo é que faz realmente o filme ficar perfeito.
    E a trilha sonora?
    *Suspira*.

    Post legal, adorei.
    :)



    • 08 de janeiro de 2013 às 11:05

      A trilha sonora. <3


  10. Bárbara Faraco
    15 de janeiro de 2013 às 18:05

    Eu simplesmente amo esse filme, tenho a trilha sonora no meu celular e escuto ela no reply, gostei da crítica :D


  11. Andrea
    19 de novembro de 2014 às 16:15

    Eu amo este ator desde que eu vi na HBO online no filme premium Rush, faz um papel muito diferente para a ação